Conversinha Fashion » Shoulder
24 janeiro 2013
Instinto animal

Brincando de ser sexy com a referência mais direta no plano de sensualização

shoulder

Padrões e estampas de bicho sempre deixam o visual um pouco mais agressivo. É natural que uma mulher vestida com alguma peça que tenha tal referência fique com um visual sensual, para não dizer sexy. O grau do efeito vai depender muito do contexto e dos detalhes da modelagem.

shoulder_1

No entanto, não há motivo para julgar negativamente uma peça sexy ou sensual. O efeito pode sim aparecer de maneira positiva e interessante, principalmente quando a mulher gosta de chamar atenção. Que mal há nisso?! É questão de personalidade.

shoulder_2

Assim, uma peça com estampa de onça já faz boa parte do serviço da “sensualização” do look, e não precisa ser combinada a outras peças superchamativas para alcançar o resultado avassalador. Tons neutros, na casa do marrom ou bege, já são uma ótima pedida.

shoulder_3

O efeito terroso, fatal, cai bem para quem quer ser notada. E essa cartela de cores limitada, bem fechada, ajuda a não exagerar e perder a mão. Se o visual já é sexy pelas referências, não há motivo para adicionais brilho, textura, decote ou comprimento mini e pecar pelo exagero.

 

  • %
17 janeiro 2012
Além do padrão

Nem sempre os looks precisam ser combinadinhos, com peças casadas pela coordenação de cor ou estampa. Sair do padrão, do óbvio, do esperado, é muito interessante e válido. É essa ousadia que garante a versatilidade do guarda-roupa e que permite que as peças sejam super bem aproveitadas.

Misturar estampas, por exemplo, já deve fazer parte da vida das mulheres/meninas de estilo criativo, com um mínimo de ousadia. O look ganha um tom chamativo, mas ser notada não deve carregar um tom negativo. Para tudo há uma ocasião, uma hora adequada.

Combinar texturas, por sua vez, é menos ousado do que combinar estampas e por isso pode ser explorado nos mais diversos momentos da vida, incluindo no trabalho. Bobagem é pensar que há algo de ruim em tal ideia, que acrescenta tanto ao visual.

Os looks são do lookbook da Shoulder.

08 janeiro 2012
Jovialidade no Ponto

Um visual jovial, para mulheres maduras, pode ser facilmente construído

Sabe quando o desejo é por um look jovial, mas ainda assim arrumadinho? Essa mistura, despojada mas nem por isso ousada ou infantil, pode ser construída com peças clássicas, detalhes atuais, estampa abstrata ou clássica; jogo de cores, acessórios marcantes ou mesmo detalhes na modelagem garantem um resultado jovem para as mulheres mais maduras.

Se a saída inicial para quem busca jovialidade é apostar nos super decotes, comprimentos encurtados e muita cor, saiba que o resultado não terá a elegância que certas idades pedem. Mais do que deixar o visual jovial, é importante manter a essência de confiança, que deve sobressair no conjunto. Nada mal ter em mente que a sabedoria dá um certo trabalho e isso vale também par ao campo estético.

Os shorts podem aparecer um pouco mais larguinhos, soltinhos, ainda que de comprimento mediano. As saias longas e/ou os vestidos podem ser pensados em tecidos moles, fluidos, longe das estruturas pesadas e formais. O decote pode ser amenizado com sobreposição de cardigan, enquanto as calças sociais podem perder a severidade combinadas a blusas que mostrem um pouco de costas ou ombros. Marcar a cintura com um cinto, por fim, cai super bem; outra saída infalível são os colares longos, delicados, ou o uso de neutros de base bege combinados à estampas.

As peças da Shoulder possuem essa essência jovial no ponto e por isso ilustram o post. Não estou recebendo nada para fazer esse post, mas bem que merecia. =p

02 agosto 2011
Lojas viciantes e fidelização

Elas são envolventes, despertam ao extremo o desejo de compra; lojas viciantes possuem um amplo público fiel que, nas araras, sempre encontram o que precisam.

Elas fidelizam seus clientes com coleções interessantes, ligadas às tendências e forte sintonia (e respeito) com o corpo do consumidor. São porto seguro para mulheres que abastecem o guarda-roupa, estação após estação, com peças que não decepcionam – ao menos não ao extremo. São referência certeira nas buscas pelos itens imaginados, na construção fácil de looks interessantes.

A Zara é classica. Paixão de inúmeras mulheres, por todo o mundo, que dispensa apresentações. Mas, de toda forma, é uma rede de fast fashion que suga o melhor de todas as tendências e aplica em interpretações, as vezes bem literais, do que gera desejo de compra nas passarelas mais vigiadas do mundo. O que para alguns é ponto forte, a facilidade de interação com os produtos que ficam todos expostos, é uma desvantagem para outros, que gostam do contato e auxílio direto do vendedor.

Já a Shoulder é um exemplo claro de insersão das tendências em uma imagem de marca muito bem definida e estabelecida, que valoriza não apenas as mulheres jovens, mas as de todas as idades. Com um toque romântico, despojado, até as peças mais arrumadas são confortáveis e práticas. A distribuição dos produtos na loja, em blocos separados por tema, estampa ou estilo, também é ponto forte para os clientes localizarem em um amplo leque de opções aquela linha que mais conversa com seu gosto pessoal.

Atenção para a Le Lis Blanc que possui uma disposição muito parecida com a Shoulder, porém segue uma linha um pouco mais chique, apostando em tecidos sofisticados. Lojas amplas e arejadas, sempre frias, garantem o conforto. É esse clima refinado que faz da marca a queridinha das mulheres que querem ir além do romântico, que gostam de valorizar a elegância. O atendimento tende a ser simpático e bem direcionado, apesar de por vezes focar pelo excesso de elogios (algo que se repete em diversas marcas, por questão da própria vendedora). Assim, o que se tem como resultado é um ambiente propício para o distanciamento do real, que deixa o processo da compra muito mais divertido.

Enquanto isso a Farm conseguiu manter muitos de seus fieis seguidores mesmo após o boom da marca, com estampas alegres e divertidas que traduzem a identidade carioca. As modelagens, que quase sempre se repetem, são levemente alteradas pela utilização dos tecidos ou detalhes da vez, fazendo das coleções extremamente atuais – mas com forte personalidade. Até mesmo a pouca qualidade de algumas peças não atrapalha o sucesso da marca que é sucesso para jovens ou adultos de espírito leve e feliz.

Com pegada totalmente sexy, de rastros elegantes, a Bob Store abusa da feminilidade marcante para prender suas viciadas clientes. Estas aproveitam o estilo fatal da marca para explorar seu lado mais sensual, através do qual conseguem se sentir cada vez mais incríveis. Apesar do leque de produtos relativamente pequeno, limitado, as linhas são renovadas com boa frequência gerando a facilidade da exclusividade – ou da tão maravilhosa sensação da mesma.

Exemplos semelhantes são Arezzo, Santa Lolla, Espaço Fashion, Osklen, Animale, Richards, Colcci ou outras que, em seus contextos, possuem seus clientes fieis que conhecem cada e toda peça que chega, e sai, da loja. O cuidado, nesse vício e nessa forte sintonia com certas grifes, deve ser o de ganhar, por fim, um visual caricato ao extremo – quase que como um espelho do lookbook da marca.

Enfim, são imúmeras e variadas as marcas que conquistaram, e fidelizaram, seus clientes com a receita mais básica de sucesso no universo da moda. Produtos atuais, qualidade, ambiente confortável, marketing estável e equipe de vendas preparada. Esse mix, complexo, gera um resultado direto de satisfação em quem compra. Mais do que identificar os atuais bem sucedidos nesse universo vale perceber como tudo isso é volátil. Até pouco tempo atrás nomes como Vide Bula, Zoomp/Zapping ou Forum eram preciosidades aparentemente inabaláveis; porém, por questões variadas, tudo mudou e outras marcas assumiram esse lugar. A razão disso é que nada é insubistituível e nós, como compradores que precisamos de roupas legais para usar, sempre encontramos nosso reflexo em um outro universo.

  • %