Conversinha Fashion » Shoestock
22 junho 2012
O mundo dos pés no chão

Aplicações, cores, texturas e recortes deixam os calçados baixos bem mais interessantes e indispensáveis

Houve um tempo, não muito distante, no qual os pés tinham poucas opções de sapatos baixos. E estas opções eram, quase sempre, sem graça e sem charme. Chegou o tempo no qual os sapatos podem ser facilmente o ponto central da produção, do look, e com texturas, aplicações, misturas de cores e materiais são capazes de levantar qualquer peça neutra ou sem graça.

Para quem busca conforto, o momento é o melhor! Sapatilhas, clássicas e eternas, ganharam detalhes e recortes que quebram o toque romântico do calçado. Os mocassins voltaram, mas com uma pegada moderna, trabalhada, as vezes até mesmo com requinte. E já tivemos como grande tendência os oxfords, eternizados no guarda-roupa da mulher que ama os pés próximos ao chão. No mais, os slippers colocam uma pitada de seriedade que por vezes bate de frente com texturas brilhantes ou decoradas por estampas super femininas, sejam charmosos florais ou marcantes onças.

Nada mal, não?! Estes calçados são hoje curinga na vida de qualquer mulher e merecem sim o investimento. Vale apenas não esquecer que os neutros são importantes no guarda-roupa – talvez não tanto quanto antes.

Os calçados que ilustram esse post são da Santa Lolla, Luiza Barcelos, Richards e Shoestock.

  • %
30 novembro 2011
Não é uma Chanel, mas…

Não precisa custar uma fortuna para funcionar bem. Ótimas marcas nacionais são opções para quem está apaixonada por sapatilhas à la chanel

Se investir $500 dólares, ou quase mil reais, em uma sapatilha não é realidade para você, assim como não é para 99,9% das pessoas do mundo, vale buscar por modelos semelhantes que gerem um efeito similar. Sim, a peça é linda e super versátil, exatamente como dizem por aí. Essas sapatilhas femininas, de bico redondo e ponteira em cor contrastante (ou complementar) são um charme e funcionam bem com os mais variados tipos de look. No entanto, essas mesmas referências podem ser facilmente encontradas em mil marcas de calçados que já adoramos – e realmente consumismos. Santa Lolla, Arezzo e Shoestock são algumas delas e, aliás, ilustram esse post.

Dizer que uma sapatilha da Chanel ou Repetto (que custa por volta de $250, mais amiga!) vai durar a vida toda não procede, porque por mais incrível que seja a qualidade do produto ele está sujeito a deterioração natural do uso ou mesmo aos tristes efeitos do tempo. Se as bolsas ficam desgastadas, sem graça, os sapatos ficam ainda pior por estarem em contato frequente com o chão – a não ser que você seja uma diva que caminha por tapetes de seda acolchoados.

Colega, segura na minha mão e vem comigo. Sua sapatilha pode não ter as charmosas letras cruzadas logo na ponta, ou no calcanhar (um grande símbolo de status) mas você pode fazer composições super elegantes com modelos semelhantes que vão ser igualmente confortáveis e muito menos caros. Assim, você pode até ter os mil reais para investir em sapatos, mas por alguma razão acha mais legal ter seis sapatilhas, em cores variadas, no lugar de uma só. Questão de escolha, certo? E se você acha que vale a apena fazer essa compra, tudo bem também. Por que não?! Questão de prioridades. =)

Já que essa sapatilha fofa e útil é super prática, ótima peça para se ter no guarda-roupa, vale procurar aquela que combina com seu gosto, bolso e necessidades. Nos looks que ilustram o post, todos com sapatilhas Chanel, um mundo de ideias que servem mais para comprovar o quanto o calçado pode ser interessante para a vida. Funciona super bem com vestidos, calças curtas, estampadas, shorts e saias e conversa tanto com o ambiente formal quanto com o informal. Entre o bicolor e o liso total, o metalizado e o fosco, um pouco do que já é parte da realidade de mercado.

  • %