Conversinha Fashion » Sartorialist
17 novembro 2010
Renda… muita renda

A aplicação da renda em detalhes, pontos específicos ou peças inteiras não é nenhuma novidade no guarda-roupa. Desde sempre o tecido marca seu lugar de estilos maneiras bem variadas: desde uma visão mais clássica e séria à uma conotação totalmente fetichista. Não há fórmula para a utilização de aviamentos ou tecidos, o que faz com que a construção do look seja a maior responsável por ditar o caminho a ser seguido por tal visual. O que importa é a forma de combinar.

Com apelo um pouco mais feminino, leve, romântico a renda em tons claros, pastel ou neutro, remete a pureza e conservadorismo; por isso combinar o tecido à peças extremamente formais ou clássicas pode gerar um visual muito fechado. Para quebrar essa linha basta focar em acessórios modernos ou dramáticos capazes de fazer saltar a sensualidade da transparência do tecido. Comprimentos encurtados ou decotes abertos também são boas alternativas.

A transparência da renda varia de acordo com a construção da mesma. Existem muitas opções de tramas e desenhos que são, também, super responsáveis pelo tom que a peça vai carregar. Rendas com pontos mais abertos mostram mais pele e por isso caminham para a sensualidade; rendas fechadas, de materiais pesados ou encorpados, podem ganhar uma conotação inversa.

Além da trama e do material vale observar que existem rendas foscas e com brilho; isso se dá, claro, pela textura do fio que pode ser também uma mistura ou algo do tipo. Acontece que nessa renda mais sequinha, fosca, o tom tende para o fetiche enquanto na renda com brilho o caminho é mais ‘vovó bem vestida’ não achei um termo pra dizer isso.

Quando a renda é misturada a tecidos pesados, contrastantes, ou mesmo deixa muito do corpo a mostra a imagem construída fica bem menos careta do que a ideia de peças clássicas com renda em tons neutros. Um jeans, por exemplo, já é suficiente para quebrar essa coisa super chique e formal da renda; o mesmo vale para o couro.

Tudo bem que a época é de transparências e peças que revelam a silhueta, mas um cuidado extra com esse grau de entrega é bem importante para não cair na vulgaridade. Braços, costas, colo, partes pequenas da barriga ou pernas podem ficar interessantes sem uma peça base ou um forro… nudez velada já é outra história, principalmente na luz do dia.

  • %
14 novembro 2010
Visual Espanta Homem

Certas construções visuais parecem propícias para encantar fashionistas e… espantar homens. Quanto mais moderna, ousada, interessante e diferenciada a imagem mais assustadora a mesma se faz para a grande maioria dos garotos. Eles não gostam de calça larga, abominam sapatos grosseiros, acham desnecessários os acessórios agigantados e não entendem a razão das sobreposições. A verdade é que tudo que esconde o corpo, quebra curvas e tira o foco das partes mais sensuais da silhueta parecem erros. São detalhes, como coletes ou calças por baixo de vestido, que dão trabalho na elaboração e encantam bem menos que o básico vestido ou a fácil mistura de jeans e camisa branca.

Homens são conservadores, ao menos sua grande maioria. Geralmente os que se interessam por um pouco mais de ousadia são aqueles ligados a profissões de artes, cultura, criação ou então aqueles que possuem dentro de casa ou na família alguma referência admirada como irmã, mãe ou grande amiga com esse estilo mais ousado.

Salve essas raras excessões ficamos com a ideia de que nem tudo super interessa a ala masculina na sociedade. Mas entre se curvar aos caprichos dos garotos e vestir o que mais gosta é legal buscar um equilíbrio, sempre dentro do que parecer mais interessante para a ocasião em questão. Se a temática do dia é um encontro romântico ou mesmo uma noite de ‘caça’ vale se conter, se o caso merecer o esforço. Mudar todo seu estilo e esquecer suas vontades por causa de um homem não é de forma alguma uma boa maneira de estruturar uma relação. Abrindo mão do que veste, ou gosta de vestir, você estará deixando aberta a porta para que outras imposições sejam aplicadas aos poucos.

Leia mais

21 outubro 2010
Vai chover… de novo, deu na tv…

Agora não tem mais jeito, a estação é de chuvas repentinas que nos pegam no susto ou surpreendem pelas manhãs. Não há como se programar, sabendo ao certo quando a próxima cúmulo nimbos vai entrar em ação, mas é possível amenizar o estrago. Seguir a previsão do tempo ajuda, mas nada é tão certo a ponto de garantir a hora exata da precipitação; melhor é ter em mente hábitos ou alterações simples que fazem de uma roupa normal uma roupa apropriada para chuva.

Dobrar a barra da calça, truque fácil que elimina a possibilidade de ficar com aquela sensaçao encharcada nas pernas – estragando o tecido e deixando uma aparência horrível no visual. A dobra pode ser em faixas exatas ou na linha enroladinha, dependendo do gosto e da peça.

Fechar o look com cinto. Chuva pode ser sinônimo de vento e de nada adianta o guarda-chuva cobrir o corpo se a roupa fica voando e balançando pra fora da área protegida. Utilizando um cinto para fechar as peças, principalmente cardigans, casaquinhos e coletes, evita-se o incômodo de ter que ficar segurando o look com uma mão enquanto a outra fica ocupada com bolsa e sombrinha. Uma roupa toda ajustada também é uma alternativa.

Amarrar o cabelo. Se você não pode com a umidade, ou não quer ficar com o cabelo volumoso, nada melhor que já sair de casa com um belo coque ou rabo de cavalo. Além de ser prático pode ser uma alteração ao visual normal de todo o dia, como uma boa razão para dar aquela investida na imagem renovada.

Usar uma bolsa de alça longa ou mochila. Mãos ocupadas são algo desnecessário num momento tenso de chuva, para evitar esse infortúnio basta lançar mão aha! de bolsas transpassadas ou mesmo mochilas.

Agora se a chuva apertou repentinamente e a situação parece extremamente crítica existem duas opções. Ou você se joga na chuva sem dó nem piedade, sabendo que chegará em casa encharcada mas a tempo da novela ou senta num lugar sequinho, confortável, e aproveita para ler a revista ou observar as pessoas correndo de um lado pro outro. Se seu caminho é todo seco, mas o trânsito vai lhe prender por um bom tempo a mais pelo congestionamento que se forma numa mágica, a solução é escolher uma boa música e ter paciência… ou então fazer uma louvada hora extra… ou um happy hour na esquina. Há sempre uma possibilidade escondida em cada contratempo.

08 julho 2010
Mania de Jeans

Material já super conhecido o jeans ganha força em peças diferentes e looks um pouco mais formais, recebendo respeito até mesmo daqueles que prezam por elegância. Na versatilidade do tecido a chance do mesmo ser aplicado de formas variadas, não apenas em calças, shorts e jaquetas mas também (e principalmente) em camisas, vestidos e acessórios.

Se o desejo é de informalidade vale apostar na mistura de jeans com jeans ou mesmo no uso de camisas soltas e suaves, nas variações de tons disponíveis no material. Para seriedade o material em tom escuro segura a função; para fincar pé na informalidade ou casualidade valem os tons claros, com lavagens ou mesmo interferências de esgarçados ou afins. Combinar com peças de couro, seja do tom que for, eleva o look a um patamar um pouco superior ao do trabalhado com tênis ou outros materiais diferenciados, pensando ainda na mistura com metais aplicados em acessórios ou  complementos.

Se a busca é por elegância, ou se essa é a característica mais forte de seu estilo, o jeans ganha peso e força combinado a outras peças da alfaiataria – sejam blazers, casacos ou mesmos sapatos oxford. O corte um pouco mais ajustado, em calças por exemplo, conversa bem com o caimento perfeito do guarda-roupa formal, sendo garantia de bom funcionamento e resultado coeso. Misturar o jeans com tons da cartela dos beges, marrons e marinho (neutros atemporais e referências na atualidade) é uma outra dica de sucesso certeiro para o visual. Pensando assim não fica difícil abandonar o jeans?! Mesmo tão óbvio ele se renova e gera opções mil que se adaptam a sua realidade.

Leia mais

05 julho 2010
Meia soquete + oxford

No oxford com meia soquete um toque é nerd, certinho, quase careta que pode funcionar bem em composições dominadas por peças femininas – vestidos, saias curtas, shorts midi. O cuidado de deixar uma boa fatia das pernas a mostra auxilia a evitar a quebra da porção inferior de corpo. Cinturinha marcada, pele a mostra, sobreposições, transparência velada… as opções variam de acordo com suas preferências. Mesmo a mistura com outras peças do guarda-roupa masculino pode render looks interessantes, pensando nas camisas ou nos shorts de alfaiataria.

Leia mais