Conversinha Fashion » Motivacional
18 junho 2012
Deixe sua marca

Cada um carrega um diferencial e este é essencial para quem quer fazer história e, assim, deixar sua marca

Para começar, você precisa deixar a sua marca. Simples assim. Em um tempo de profissionais cada vez mais competentes e bem treinados, fabricados para ser um sucesso, o diferencial pode estar naquilo que mais ninguém sabe fazer. O diferencial, o ponto extra, pode estar na mera capacidade de não ser mais um, de se fazer notar, de ser um risco fora do círculo, que por vezes pode até incomodar, mas acima de tudo chama atenção. Com todas as outras características que todos os demais carregam, que a concorrência já cansou de carregar (e treinar) ser diferente, ser uma excessão, parece ser também o segredo para ser melhor. Não se trata de fabricar uma atitude inusitada, talvez a questão seja deixar aflorar aquilo que passamos boa parte da vida tentando esconder. Pode ser um senso de humor apurado, um jeitinho avacalhado ou mesmo um tipo de comportamento qualquer que os livros insistiram em dizer que eram pouco indicados. Já pensou que regras foram quebradas e histórias de sucesso nasceram do risco?! Nada mal ser diferente. Nada mal deixar sua marca e ser demais simplesmente pela capacidade de ser você. Talvez, ainda, a questão seja ser uma mistura do profissional esperado com alguém que vai além do padrão, alguém que sabe que um pouco de ousadia é o que faz com que alguém não seja apenas mediano. Questão de escolha. Questão de deixar sua marca!

  • %
21 abril 2012
No fundo do meu poço…

Em cada queda, em cada decepção, pode haver um motivo para ir ainda mais longe

Há aquele momento em que nos perguntamos: “Quantas vezes conseguiremos levantar?!” A resposta é óbvia, quantas vezes forem necessárias. A vida prega suas peças e as pessoas são sim decepcionantes – nós também somos, as vezes. O que importa é arrancar forças de algum lugar para seguir em frente e aprender com o que passou. É preciso rir dos acidentes que cortam nossos dias e encarar estes como naturais, até mesmo porque são. Nós falhamos, e assim colecionamos decepções que podem ser transformadas em aprendizado, tentando evitar ao máximo que essas mágoas se transformem em feridas eternas que nos impedem de acreditar na possibilidade de um futuro bom. É preciso dar tempo ao tempo para que essas decepções de hoje não estraguem o que está por vir… e, da mesma forma, saber que segundas chances não podem ser transformadas em terceiras, quartas e quintas. Há um limite, o limite da honra. E há sempre um lado bom em cada história, um aprendizado em cada queda, assim vamos focar na esperança!  No mais, a vida sempre terá seus altos e baixos e com o tempo ficamos treinados a levantar cada vez mais rápido para assim colocar em prática a história de que no fundo de cada poço pode haver uma mola.

15 abril 2012
Seja você

Mais importante do que seguir as modinhas de uma época é ser você, em sua melhor versão

O mundo diz que as mulheres devem ser femininas, sensuais, sedutoras, provocantes, seguir tendências e gostar do que é atual. No entanto, muitas mulheres são diferentes do padrão e isso faz parte do que elas realmente são; são elementos que indicam a essência do estilo pessoal de cada um. São muitas as mulheres que não se sentem bem com vestidos, não gostam de decotes, não ligam para maquiagem pesada, não curtem roupas de temporada e/ou não querem saber de salto alto. São mulheres que admiram outro tipo de beleza, que se sentem bem com roupas práticas, confortáveis, ou mesmo estão ligadas ao que é clássico, tradicional. Existem aquelas, ainda, que gostam de contar suas histórias ou explorar a criatividade.

No ato diário do vestir, que contribui muito para o nosso bem estar e para a nossa confiança, o mais importante é se sentir bem com o que você é e, assim, ser você… Mais do que ser você é interessante ser uma ótima versão de você, daquele jeito que supera o básico e valoriza ao máximo sua personalidade – seja ela como for.
Não há mal ou erro em não estar ligado ao que é esperado pelo mundo. Tudo isso é parte da essência de cada um e pode ser trabalhado de outras formas. Assim, vale buscar por peças que valorizam você e a sua personalidade, sem se esquecer de que há como lapidar um visual sem sair daquilo que lhe faz bem. Experimentar cores, trabalhar com texturas, fazer quebras ou experimentos que lhe tiram da sua zona de conforto sem, necessariamente, lhe deixar desconfortável.

São diferentes e fortes as mulheres que estão fora do padrão básico e esperado, quase que fabricado, das modinhas – ou da época. E por serem assim são também capazes de assumir seu gosto e suas vontades, elas encantam! O momento atual diz que não há apenas um caminho para ser seguido e que o que importa é a felicidade. Sendo assim, vale trabalhar em busca desse objetivo quebrando preconceitos e fórmulas padrão. Vá ser você, em sua melhor versão.

04 abril 2012
Ame o seu trabalho

E você não terá que trabalhar um dia…

O trabalho não deve ser um motivo de sofrimento, um estorvo, uma constante dor de cabeça. O trabalho deve estimular, gerar felicidade, satisfação por criar ou realizar algo que tenha valor para você, que te motive, que te orgulhe. Talvez por isso escolher uma profissão seja tão difícil, pois é algo que além de pagar as contas e manter uma vida minimamente dígna deve alimentar a alma e preencher de forma positiva os dias. Quando você gosta do que faz, você até mesmo se esquece de que aquilo ali é trabalho, que é aquilo que paga os seus luxos, ou mesmo que garante o básico, da geladeira cheia à casa iluminada.

Quando o trabalho é uma prestação de serviço, na qual temos contato direto e quase que diário com clientes e pessoas cheias de expectativas, a tensão aumenta e a cobrança vem de diversos pontos, muitas vezes não só do contratante mas de você mesma… pela vontade quase que sufocante de entregar um bom trabalho, suprir as necessidades daqueles que te procuraram. A responsabilidade é enorme, mas é válida e positiva quando o retorno, além do financeiro, chega em palavras, emails de agradecimentos ou olhares de felicidade. É isso que faz qualquer profissão valer a pena, sentir que você está fazendo algo que acrescenta na vida de alguém, que gera satisfação.

Por isso é tão importante amar o que faz, sem colocar em primeiro plano, como objetivo central e único, o retorno financeiro. Este é inegavelmente importante, mas não é a única coisa que importa, a coisa exclusiva. Se uma profissão lhe deixa mentalmente cansado, e só, vale buscar algo que lhe alimente o espírito, nem que seja como um trabalho secundário. Ame sua profissão e você não terá que trabalhar um dia… é o que dizem.

  • %
23 março 2012
Manter o ritmo de mudança

Para uma evolução permanente é preciso investir a longo prazo no que muda sua história

Em momentos específicos da vida sentimos a vontade, o desejo, de transformar algo em nossa vida, de mudar nossos hábitos e costumes. Essas mudanças, por mais pontuais que sejam, se arrastam durante certo tempo e podem morrer em meio as coisas da rotina, em meio ao que faz de cada dia apenas mais um dia. Mais do que isso, podem se perder em meio a outros problemas, afinal são muitas as questões na vida – trabalho, finanças, relacionamentos, filhos, amigos, família… No entanto, para que a evolução seja constante e marcante é necessário investir a longo prazo naquele determinado tópico que gera desconforto, longe de acreditar que o que é feito em um único instante trará resultado eterno.

Se em um momento bateu o desejo de mudança é porque havia, ou há, algo para ser mudado. Além de determinar qual o problema em questão é interessante, claro, buscar algum tipo de solução. Nada muda pela simples vontade de mudar, tudo requer esforço. Para os dramas eternos do guarda-roupa a solução está em análises, inicialmente, e logo depois na aplicação prática do que aprendemos. Cada um possui suas carências, com isso não há fórmula para vestir bem e/ou se sentir bem com o seu guarda-roupa. Mas, de toda forma, algo nunca deixar de ser verdade: devemos sair da nossa zona de conforto.

E assim, após uma semana, um mês ou um ano, é necessário avaliar as mudanças, analisar resultados e tentar descobrir o que sobrou para melhorar. Afinal, é um trabalho constante e permanente de amor próprio, e vamos regando nossa autoestima com coisas inspiradoras e informação.