Conversinha Fashion » Jeans
15 agosto 2016
Como transformar o jeans com barra dobrada #TruqueDeEstilo

Aquela calça jeans de sempre pode ganhar nova cara com um simples truque: dobrar a barra. Sim, pode parecer bobagem, mas o feito é pra lá de interessante! E são detalhes pequenos que fazem toda a diferença e mudam completamente o resultado estético de uma peça.

BarraDobrada

Dobra aqui, ajeita ali. Uma enroladinho na barra do seu jeans pode gerar um efeito incrível! Aquela peça de sempre pode ficar mais despojada, ou certinha… ou mesmo mais moderninha e menos básica.

BarraDobrada2

Existem inúmeros os tipos de dobras. Sendo que os efeitos variam. E, claro, o jeito que a peça fica no corpo vai depender principalmente da modelagem natural da calça e da forma que ela foi usada (com qual tipo de peça – blusinhas, camisas, ou algo assim).

  • as dobras finas e estreitas agregam menos peso visual (aumentam menos o volume das pernas)
  • as mais grossas chamam destaque para um ponto inferior (bom para quem quer valorizar as coxas)

BarraDobrada3

E como dobrar? Tentando, experimentando, arriscando e vendo o que cai melhor com o jeans em questão. Existem os mais grossos e pesados que aceitam melhor dobras rígidas e marcadinhas, enquanto os jeans moles e maleáveis são ótimos para enrolar.

Assista e brinque com os jeitos de usar o jeans com a barra dobrada!

Se inscreva no canal do YouTube para acompanhar os vídeos novos sobre moda, estilo e identidade.

  • %
29 março 2016
Vídeo: 3 peças que fazem toda a diferença no seu guarda-roupa

Não precisamos de regras, quando falamos de moda e jeitos do vestir. Mas, algumas orientações podem, sim, ser úteis… principalmente para quem busca uma inspiração extra ou um jeito de começar a repensar o visual.

jeans

Quando o tema são peças que todos “devem ter” no guarda-roupa, algumas se destacam. Elas, por regra, tem como característica a versatilidade e a capacidade de serem encontradas em estilos e modelagens diversas. Ou seja, são peças que, apesar de similares, podem ter aparências variadas.

E o “tem que ter”, sempre, não funciona como uma imposição. É um jeito de falar sobre itens que facilitam o ato diário do vestir. Quase que um alicerce para quem está perdido e não sabe bem por onde começar.

Vem comigo conferir três peças que são superúteis em qualquer guarda-roupa. Me conte o que achou e inscreva-se no canal, para não perder nenhuma novidade!

  • %
25 janeiro 2016
Um jeitinho no jeans…

Muito se fala sobre a calça jeans e a peça está, sem dúvida, entre as queridinhas entre as mulheres. Não é por menos. A peça é versátil e, quando na modelagem certa, valoriza a silhueta. Mas, acertar no modelo pode não ser tão simples… existe a dificuldade na hora de encontrar a peça ideal, no tamanho perfeito. É uma combinação de fatores. Um truque, válido, é comprar um jeans justo e deixar o tecido ceder… o que muito se aplica principalmente nos casos sem elastano (aqueles jeans menos maleáveis).

É fato que o jeans, após alguns dias de uso, tende a amolecer um pouquinho e a justificativa pra isso é bem simples. O tecido quando submetido a lavagens e tratamentos pode ficar cheio de uma goma (será que essa é a palavra certa?) que sai com o tempo. Por consequência, a peça fica menos dura e estruturada depois de alguma “atividade”. Daí, claro, a calça passa a vestir um pouco melhor. Então que comprar um jeans um pouquinho justo (mas só um pouquinho mesmo) não é lá tão má ideia.

Pra peça ceder logo, rápido, pode-se lavar o jeans em água fria com o número máximo de ciclos que a máquina permite… sem colocar sabão e nem nada…. só bater e centrifugar. Depois, sem passar, restar vestir e… voila! Pronto. O jeans depois de lavado já ‘assenta’ beeeem melhor. A peça perde um pouco da aparência dura e grossa. Assim, ele fica menos justo e sufocante.

jeansjeans

Aquele jeans perfeito que abraça as curvas da silhueta: sim, é possível. Peças com elastano, claro, ajudam…

De toda forma, são escolhas. É importante conhecer o corpo, o jeans, os limites da tecnologia têxtil, que aqui não opera milagres. Não vale comprar uma calça que não entra, que não sobe, que não fecha… a diferença é mínima! O tamanho da peça não vai aumentar só por causa de uma lavagem. Funciona com aquela calça que está quase perfeita. E o jeans larguinho, no provador, logo mais vai ficar frouxo, então será necessário providenciar um ajuste – ou um cinto. Sabe como?! É tipo um sapato novo.

Post originalmente publicado em 27 de janeiro de 2010.

29 março 2011
Acertando no jeans

Acertar a escolha do jeans pode levar tempo, afinal não é o tipo de roupa mais amigável em todo o universo – elejo, para tal, os vestidos. Mas, de qualquer forma, o desejo de ter um curinga jeans ou mesmo de brincar com tal peça leva a insistência na compra errada ou mesmo no incômodo diário com o tecido que quando em modelagem inadequada machuca e gera impaciência.

Antes de tudo alguns minutos de reflexão podem mudar sua ideia sobre a real necessidade de ter (e usar) jeans dia após dia. As calças de outros tipos de tecido (afinal não entendo isso de calça de tecido, pois jeans é tecido) são mais leves, mais suaves, mais elegantes, mais interessantes para modelar e valorizar a silhueta. Acha pouco?! Elas são igualmente versáteis e podem, aliás, gerar um número muito maior de composições. Abrir o leque é importantíssimo.

Decidida a levar um jeans para casa é importante entender seu corpo por quatro partes ou proporções. Bumbum, coxas, cintura e quadril. O comum erro da escolha começa logo aí, quando optamos por um jeans que funciona no quadril mas pega na coxa, fica bonito na coxa mas sobra na cintura ou então fica certinho na cintura mas deixa papo no resto do corpo. Complicado. Visualizar o jeans como um conjunto de pontos, centrados nessa região alta da peça, é caminho para encontrar o que melhor fica em cada corpo. Primeiro fato: nem toda loja possui um jeans adequado ao seu corpo. Vale encontrar o local, ou a marca, que tenha uma ideia adequada para você.

O que observar então já que são tantas as coisas importantes?! Corpos com curvas pedem jeans com curvas, que abracem as coxas e o bumbum evitando assim aqueles papos nada desejados. O mesmo pode ser pensando para os bolsos da peça, não só os traseiros mas também os da frente da calça. Os bolsos de trás quando muito baixos acabam por aumentar um ampliar o bumbum pequeno ou inexistente, enquanto os mesmos em silhuetas curvilíneas acabam por achatar o corpo e gerar aquele efeito apertado no quadril. Detalhes que são um passo para gordurinhas saltarem e volumes se acumularem nos lugares mais estranhos. Nessa mesma ideia a costura lateral do jeans deve ser mais curva no caso de coxas grossas e bumbum grande, fazendo esse efeito de proteger a região de trás sem comprimir a cintura e o umbigo. Complicado?! Que nada. Basta observar como se comporta aquela linha reforçada na lateral do jeans que deve sempre dar um suporte às suas curvas naturais. Outro detalhes importante é a localização da cintura, se mais alta ou mais baixa. O que importa, claro, é tentar fazer essa relação entre curvas e forma física. Veja que alguém de barriga sarada pode brincar com cinturas um pouco mais baixas, aos menos na frente, enquanto gordurinhas extra pedem por uma cintura um pouco mais alta ao menos na parte de trás.

Essas pequenas diferenças tendem a ser trabalhadas nas grandes marcas que tentam fidelizar seus clientes com modelos específicos que não saem das coleções. Eles voltam, estação após estação, repensados nas cores e lavagens. São essas as pequenas interferências que mudam a cara do seu jeans, não tanto a modelagem que uma vez descoberta vai ‘sempre’ valorizar o seu corpo.

As imagens são da Levi’s que com a linha CurveID conseguiu explorar bastante esse carente universo de jeans específicos para tipos de corpos. Na marca são quatro as variações: slight curve (formas retas), demi curve (proporções homogêneas), bold curve (curvas genuínas) e supreme curve (curvilíneas). Vale tentar. E não, não estou ganhando nada para fazer esse post… mas bem que merecia. =)

  • %