Conversinha Fashion » J.Crew
23 novembro 2012
De calça na festa

Para quem busca conforto as calças são uma boa opção para as festividades de fim de ano

Festas de fim de ano e você não quer ir de vestido, adivinhei?! Já não é de hoje que os vestidos, como opção única, ficaram para trás. Aparecem os shorts, saias e também as calças como alternativa para quem busca conforto com alguma sofisticação.

O interessante é que a calça, acima de tudo, carregue alguma elegância. Esta pode aparecer no tecido e também na modelagem, que merece ser um pouco mais limpa e clássica, valorizando, assim, a textura, estampa ou mesmo a possibilidade de algum brilho acetinado. É importante sair do visual do dia-a-dia, fugir do óbvio, para assim ter um resultado pais sofisticado e com o tal toque festivo.

O lookbook da J.Crew, aquela marca gringa que sempre aparece por aqui, mostra várias opções para quem quer apostar nas calças como saída para se dar bem nas festividades que marcam o natal e a virada do ano. É sempre bom abrir a mente e explorar outras alternativas. Perceba como sabatos legais e peças bacanas na porção superior complementam o look. Tudo de bom!

  • %
22 outubro 2012
Vestida para celebrar

Não é tão complicado como parece escolher o modelo ideal para uma festa

Convites para festas costumam gerar grande dúvida, afinal sair da rotina ao montar looks e combinar acessórios alimenta sim certa insegurança. Porém, não alimente o drama. Alguns básicos, quase clássicos, são mais do que suficientes para se sair bem em qualquer ocasião. A questão é escolher, entre o amplo leque de possibilidades, uma modelagem que valorize sua silhueta e entender que, no geral, menos é mais.

O comprimento logo acima da linha dos joelhos é super versátil e fica bem em praticamente todas as mulheres. Para as que carregam uma silhueta um pouco mais cheinha, vale apostar nos modelos sutilmente soltos, com um bom decote que pode aparecer no corte V. Marcar a cintura, seja alta, ou baixa, é essencial. Outra boa opção é o corte de um ombro só que é elegante e gera ótimo resultado visual. Nada mal investir no tomara-que-caia, para quem não tem muito busto e tem boa postura, ou mesmo brincar com vestidos com pequeno detalhe na região do colo para quebrar a modelagem lisa de um tubinho.

Seja como for, o segredo para um bom vestido, que pode ser tranquilamente feito por uma boa costureira, também está na escolha acertada do tecido. O requinte pode ser garantido por um acabamento acetinado, pela textura suave e macia da seda ou mesmo por um leve brilho entre as tramas. No mais,  inspire-se e descomplique. O importante é curtir.

As imagens são da J.Crew

  • %
08 março 2012
Versatilidade aconchegante

Textura macia e suave caracterizam peças que encantam e envolvem pela versatilidade e pela sensação de aconchego

É indiscutível o conforto proporcionado por peças como suéter, cardigan, ou qualquer tipo de lã ou linha que abraça o corpo, sem apertar. Essas texturas, principalmente no caso do cashmere, envolvem a silhueta e enviam sensação de aconchego e delicadeza. São perfeitas para sobreposições ou podem ser aplicadas diretamente em encontro com a pele e, sempre, agradam.

Esses sinais podem ser trabalhados de formas diversas, com intensidades que são manipuladas de acordo com o momento ou com o objetivo. Atemporais, as peças merecem um certo investimento e podem se transformar em curingas no guarda-roupa.

Nada mal pensar também que essa discreta textura funciona como maneira de disfarçar uma possível barriguinha ou mesmo esconder dobrindas indesejadas. O próprio caimento da peça, quando escolhida em tamanho adequado, gera esse efeito. Basta cuidar para que o suéter ou cardigan escolhido tenha o tamanho certo – nunca muito folgado, largo, e nunca justíssimo.

Por fim, as texturas podem fugir do toque macio e aparecem um pouco mais rústicas, pesadas, desfiadas ou mesmo rasgadas. Podem lembrar tweed, caminhando para outro universo, ou mesmo lembrar outros tipos de tecidos – no caso das tramas grosseiras, ainda assim confortáveis na essência. Cada detalhe faz parte da construção da imagem e das mensagens que serão enviadas.

As imagens que ilustram o post são do lookbook da J.Crew.

  • %
27 fevereiro 2012
Formal e profissional

Certos ambientes profissionais pedem por um visual um pouco mais sério, formal, e não permitem grandes exageros. É preciso focar na limpeza visual, na neutralidade do gênero (sem apelar para a sensualidade) e na seriedade como elemento central. Tal tipo de visual formal profissional cabe em agências de banco, grandes multinacionais, cargos de gerência, empresas ligadas a advocacia ou outras áreas nas quais a criatividade deve estar somente (e olhe lá) nas ideias. Ainda são muitas as áreas conservadoras nas quais é preciso deixar os modismos um pouco de lado e investir muito mais na forma, e no caimento, do que na ousadia.

Alguns itens clássicos como a calça de corte reto, a camisa branca de manga longa, o blazer seco, o vestido tubinho e a saia lápis são elementos quase que previsíveis para esse universo e, por isso, são os mais indicados. Não há mal em seguir o padrão… mas, você pode seguir esse padrão com grande sabedoria. É possível se destacar usando a mesma lógica que todos ao seu redor tilizam.

A verdade é que existem ocasiões nas quais sair muito do padrão, do básico esperado, é um risco desnecessário. Essa ousadia pode parecer vez ou outras nos acessórios ou em algum ponto de cor que fuja um pouco do mix preto, branco, cinza e bege. Cabelos amarrados em rabo de cabalo, coque, ou mesmo um óculos de armação diferente funcionam como artifício diferenciador.

Ainda assim, alguns detalhes charmosos deixam na mesa a essência da feminilidade, algo também importante que pode ser pensado mesmo com o gênero em segundo plano. Vale pensar em estampas como as bolinhas, a cintura marcada por delicado e estreito cinto, um suéter jogado nos ombros, ou sobreposto a camisa, ou mesmo um jeans combinado a camisa e blazer para um casual friday.

Tecidos impecáveis são essenciais e, mais do que tudo, devem estar combinados a peças limpíssimas. Comprimentos sempre na linha dos joelhos (ou abaixo) e aproximadamente um dedo de espaço entre a roupa e o corpo (é o espaço que te livra da vulgaridade). Roupas ajustadas, mostrando noção de espaço e de adequação, e foco na produção. Afinal, de nada adianta se vestir como uma modelo da J.Crew (cujo lookbook antiguinho ilustra o post) e ser uma péssima profissional. =)

  • %
29 agosto 2011
A Cashmere Affair

Representação da delicadeza com a inserção do cashmere no universo do ballet.

Super delicada a coleção A Cashmere Affair, J.Crew, com referência ao ballet em suas fotos de divulgação. As imagens foram feitas no Mariinsky & Yakobson Dance School, na Russia, e despertam lembranças doces e suaves na mente de meninas que, na juventude, passaram horas de seus dias entre alongamentos, saltos e exercícios na barra.

Em meio a sapatilhas de ponta, saias de tule, meia calça rosa e cabelos presos em coque um universo que combina, em tudo, com a suavidade e a paixão que brota com a dança e com o uso de peças em cashmere. Confortável a ponto de possibilitar os mais incríveis movimentos e liberar corpo, e alma, para diversas sensações.

Assim, o cashmere é tão delicado, macio, envolvente, que em tudo combina e conversa. No uso, no dia-a-dia, ele é básico e versátil, sendo item indispensável em todo guarda-roupa. Suas características incluem o toque, extremamente macio, e o acabamento suave e leve, perfeito não apenas par ao inverno mas também, e principalmente, para o verão.

Trata-se de uma lã de alto luxo, originária da Índia ou Paquistão. Essencial é cuidar para não cair no truque do cashmere da China que, além de ser de baixa qualidade, está gerando vários problemas para o equilíbrio ambiental do local. O que alimenta o consumo, e o uso, desse cashmere de baixa qualidade é a marcante diferença de preço e custo – já que o cashmere original é, de fato, relativamente caro. Ainda assim, vale o investimento. 

No dia-a-dia ele pode ser inserido nos mais diversos momentos, do trabalho ao lazer – passando por look mais requintados. O uso, de forma geral, varia de acordo o corte da peça, que pode ser dos mais variados. Na coleção de J.Crew, alguns exemplos que mostram a versatilidade das peças feitas dessa lã. No mais, todos merecemos ter um caso, mais que eterno, com o cashmere. <3