Conversinha Fashion » GarotasEstúpidas
30 novembro 2011
Não é uma Chanel, mas…

Não precisa custar uma fortuna para funcionar bem. Ótimas marcas nacionais são opções para quem está apaixonada por sapatilhas à la chanel

Se investir $500 dólares, ou quase mil reais, em uma sapatilha não é realidade para você, assim como não é para 99,9% das pessoas do mundo, vale buscar por modelos semelhantes que gerem um efeito similar. Sim, a peça é linda e super versátil, exatamente como dizem por aí. Essas sapatilhas femininas, de bico redondo e ponteira em cor contrastante (ou complementar) são um charme e funcionam bem com os mais variados tipos de look. No entanto, essas mesmas referências podem ser facilmente encontradas em mil marcas de calçados que já adoramos – e realmente consumismos. Santa Lolla, Arezzo e Shoestock são algumas delas e, aliás, ilustram esse post.

Dizer que uma sapatilha da Chanel ou Repetto (que custa por volta de $250, mais amiga!) vai durar a vida toda não procede, porque por mais incrível que seja a qualidade do produto ele está sujeito a deterioração natural do uso ou mesmo aos tristes efeitos do tempo. Se as bolsas ficam desgastadas, sem graça, os sapatos ficam ainda pior por estarem em contato frequente com o chão – a não ser que você seja uma diva que caminha por tapetes de seda acolchoados.

Colega, segura na minha mão e vem comigo. Sua sapatilha pode não ter as charmosas letras cruzadas logo na ponta, ou no calcanhar (um grande símbolo de status) mas você pode fazer composições super elegantes com modelos semelhantes que vão ser igualmente confortáveis e muito menos caros. Assim, você pode até ter os mil reais para investir em sapatos, mas por alguma razão acha mais legal ter seis sapatilhas, em cores variadas, no lugar de uma só. Questão de escolha, certo? E se você acha que vale a apena fazer essa compra, tudo bem também. Por que não?! Questão de prioridades. =)

Já que essa sapatilha fofa e útil é super prática, ótima peça para se ter no guarda-roupa, vale procurar aquela que combina com seu gosto, bolso e necessidades. Nos looks que ilustram o post, todos com sapatilhas Chanel, um mundo de ideias que servem mais para comprovar o quanto o calçado pode ser interessante para a vida. Funciona super bem com vestidos, calças curtas, estampadas, shorts e saias e conversa tanto com o ambiente formal quanto com o informal. Entre o bicolor e o liso total, o metalizado e o fosco, um pouco do que já é parte da realidade de mercado.

  • %
18 agosto 2011
Bem além do afunilado

O jeans afunilado passa a dividir espaço com outro modelo. Abram as portas do guarda-roupa para o já consagrado flare jeans.

Nós nos acostumamos a usar o jeans afunilado, skinny, justinho da coxa à barra. Assimilamos a ideia de que só, e apenas, esse modelo era capaz de valorizar a silhueta feminina – sendo que o corte do mesmo nem sempre ou quase nunca é tão amigável assim. Ficaram esquecidos, ou em segundo plano, outros modelos um pouco mais clássicos, ou com cheirinho de boca larga. Pois história mudou e o flare jeans, ou mesmo o bootcut, se estabelece como tendência, se consagrando como paixão indispensável ao dia-a-dia.

Eles são ótima opção para a silhueta tipicamente brasileira, das curvas marcantes, coxas grossas e bumbum avantajado. A boca um pouco mais larga, ajustada no joelho, ressalta o equilibrio das proporções e possibilita o uso de uma ampla gama de opções na porção superior. Entre as camisas utilizadas para dentro, com perfume formal e elegente, a possibilidade dos comprimentos sutilmente alongados – cuidando, apenas, para não cobrir quadril por inteiro e, assim, gerar um certo desconforto visual.

Nos pés, o uso dos saltos ou sapatos baixos – que carecem de um pouco mais de estatura para o bom funcionamento do conjunto. Cintos complementam o charme do look, mas entram apenas como elemento decorativo já que as modelagens tendem a ter uma cintura um pouco mais alta e, por sua vez, confortável. Por fim, o resultado é de pura confiança, fruto do conforto de uma calça que abraça as curvas e garante bem estar.

11 julho 2011
Mais ideias para a saia longa

Elas foram hit durante o inverno e vão continuar com força total durante o verão. As saias longas são femininas e confortáveis. Desnecessário solicitar mais motivos para usar essa peça que pode fazer maravilhas pelo seu guarda-roupa.

Pensou em conforto, com apelo fashion, pensou em saia. Seja no comprimento que for, a peça gera sensação de bem estar e auxilia a criar uma longa linha magra e fina na silhueta. É claro que as mais encurtadas são mais perigosas, e pedem um corpo um pouco mais fino ou em forma. Porém, o modelo longo entra como alternativa incrível para quem quer aliar feminilidade à praticidade.

Entre as ideias de uso estão opções que caminham entre a sobreposição, a junção combinada e o caminho despojado. Claro que, sempre, tendo em mente o que conversa melhor com o modelo da saia. É super interessante a ideia de combinar a saia longa à camisa ou blusa para dentro, com resultado blusado que auxilia a disfarçar barriguinha ou esconder qualquer coisa extra na região.

Se a saia possui um pouco mais de volume é interessante seguir essa lógica na outra peça, para não gerar um constraste muito estranho. Já a saia um pouco mais seca, justa, possibilita as duas variações – porém o duplo ajustado alonga muito a silhueta e pode ser uma boa alternativa para as magrinhas. Perfeita é a composição com colete ou outra peça acinturada na porção superior. Muito interessante.

Detalhe que merece atenção na construção do look com saia longa é o comprimento da mesma, que deve estar quase rente ao chão. A saia um pouco mais curta, que não cobre os pés, corta a silhueta e gera um forte estranhamento visual. Nos pés, tudo pode ser utilizado – desde tênis bonitinhos (estilo all star e/ou osklen), botinhas de cano curto, abotinados, saltos, rasteirinhas ou o que for legal para o conjunto que você planeja construir. Por mais que não apareça a todo momento o calçado tem papel super importante no acabamento desse tipo de visual.

E as estampas, ou recortes, entram como forma de agregar personalidade à peça. Lembrando apenas que estampas de grande escala tentem a aumentar a região (e alongar menos), enquanto as estampas menores e de pouco contraste auxiliam a minimizar áreas ou mesmo esticar mais determinada porção do corpo. Se joga no equilíbio e aproveita essa peça que é, literalmente, tudo de bom – como pode ser verificado nas imagens que comprovam a versatilidade da velha, e boa, saia longa.

30 junho 2011
Bota acima dos joelhos – como lidar

Se você não é Vivian (Julia Roberts), em Uma Linda Mulher, a bota over knee deve ser usada com sabedoria. Se bem aplicada gera um visual sensual, sexy na medida, que valoriza ao máximo o poder da mulher. Quer tentar?

Elas, por vezes, assustam e chocam, mas geram interessante resultado visual. As botas de cano super longo, acima dos joelhos, garantem sensualidade imediata e valorizam a feminilidade da mulher. Fácil assim é querer usar todo esse poder, porém nem toda silhueta (e nem toda combinação) gera ótimo resultado visual. Algumas variações são mais versáteis, fato, e mais básicas. Quer tentar?

Antes de tudo atenção para o modelo. Há um tipo de bota, acima dos joelhos (na na linha dos mesmos) que possui uma dobra que literalmente duplica as opções de uso dessa peça. Ela pode ser trabalhada abaixo dos joelhos, quase que como uma bota padrão, ou acima dos mesmos – bem sexy e moderno. Ui.

Mas, vamos as dicas. Quem possui coxas finas e pernas longas pode investir, sem medo de ser feliz, no modelo acompanhado de jeans, jegging ou legging ajustada, lembrando apenas de trabalhar na porção superior com um modelo de blusa ou casaco levemente alongado, garantindo o equilíbrio das proporções. Acontece que a bota super longa com algum tipo de calça também justa por baixo acaba super alongando a porção inferior, e é preciso tomar cuidado para não deformar a parte de cima do corpo. Quem possui coxas grossas ou sobrepeso deve dar preferência a bota de cano bem longo em um modelo menos justo, mas soltinho, que não gruda tanto no corpo. Assim sobra um certo espaço entre calçado e perna, deixando folga visual para o uso de saia/vestido revelando uma porção de perna que visualmente emagrece. Aha!

Essa quebra trabalhada na saia curta, soltinha (por favor, já que não somos “Uma linha mulher”), é ótima para abusar na porção superior de peças um pouco mais largas, já que esse contraste de ajustes é o que mais valoriza a beleza feminina. Fato. Mas de toda forma a mistura mais justa, para qualquer tipo de corpo, é investir na bota over knee combinada à vestido amplo, estilo chemise ou transpassado, ajustado com cinto. Sabe?! Assim o corpo agradece e a vulgaridade passa longe. Uma meia calça, para completar a linha das pernas, ajuda a alongar o corpo. Decotes exagerados são altamente dispensáveis. Assim, pode ser para agora essa bota que já está por aí a muito tempo e merece lugar especial no seu guardar-roupa, se sensação de poder é, hoje, uma de suas prioridades.

  • %