Conversinha Fashion » 2014 » maio
27 maio 2014
5 razões para não comprar…

Compras são tentadoras. O processo de levar para casa algo novo desperta sensações incríveis e libertadoras. Mas, nem sempre a aquisição em questão é realmente necessária ou que de fato cabe no orçamento. Por essa razão, a decisão da compra deve ser muito bem avaliada. Afinal, existem muitas razões para não comprar aquilo que você jura precisar.

buy

1. Não há mal algum em repetir roupas. Aquela sensação de que você será julgada por usar em uma festa ou evento a mesma festa peça que usou há algum tempo é pura bobagem. Lembre-se de que boas aquisições foram feitas para serem utilizadas várias vezes e de que bons acessórios (aqueles que você já tem, claro) podem dar outro sentido a produção. No mais, deixe de se importar com bobagens e gaste seu tempo com coisas mais sérias.

2. A fatura do cartão de crédito vai chegar. Antes do que você imagina, no momento mais inapropriado, chega a fatura do cartão de crédito e não é nada legal ver que os gastos foram descontrolados. Essa sensação de arrependimento com a compra praticamente estraga a mágica de uma boa aquisição. Então, faça compras respeitando o seu orçamento.

3. Economizar também é legal. Lembre-se de planos maiores e de que o “não” de hoje é a alegria de amanhã. Controlar o consumismo tende a ser a receita mágica (ou nem tanto assim) para dominar as tais compras pequenas e gastos picados que são os grandes vilões para quem quer guardar uma grana e investir em algo um pouco – ou muito – mais caro. Com isso, tenha metas. E veja, com gosto, a conta engordar.

4. A tendência de hoje é o cafona de amanhã. As modinhas são um bom exemplo de peças que rapidamente deixam de ser bacanas – assim como toda e qualquer tendência. Com isso, não se sinta mal por não acompanhar as listas de “tem que ter” para cada estação. Para uma pessoa real é impossível ter todos os modismos de cada temporada. Deixe de lado a loucura do “todo mundo usa” e viva feliz com as suas peças prediletas – com os seus clássicos incríveis.

5. Não dá pra ter tudo. Como Zygmunt Bauman bem diz: “O mundo está cheio de possibilidades, é como uma mesa de bufê com tantos pratos deliciosos que nem o mais dedicado comensal poderia provar de todos”.

  • %
22 maio 2014
Pega, e faz

Para quem quer deixar uma marca, atitude é indispensável

action

Se você quer algo, pega e faz.

Sempre fui dessas que inventa alguma coisa nova a cada dia e que encontra uma boa ideia em cada momento no qual a mente se perde do vício da rotina. Mas, muitas dessas boas ideias ficam paradas por aí – registradas em bloquinhos ou esquecidas nas anotações do celular. Colocar em prática nunca foi meu forte – até então. De repente, percebi que minhas boas ideias, tempos depois, estavam sendo materializadas por outros e que ver terceiros realizando o que eu havia idealizado primeiro não era nada legal. Mas, claro, o mérito nunca é de quem pensa escondidinho dentro de seu próprio mundo – é de quem realiza, de quem transforma uma possibilidade em realidade.

É preciso ter foco e, mais do que isso, é preciso escolher o que fazer e para onde atirar. Não dá para investir tempo e dedicação em tudo o que desejamos. Com isso estabelecer metas é essencial para não ver a vida passar em brancas nuvens, como disse Francisco Otaviano. Afinal, para os que querem deixar uma marca, carimbar um tempo, o hoje pede alguma resposta e clama por atitudes, sejam elas tentativas frustradas ou acertos elogiáveis.

Nessa de querer realizar, pesquei um sonho antigo, esquecido no passado, mas que sempre reaparece como um faísca que quer se transformar em incêndio e gerar a mudança. Percebi que para construir algo grande, não dá para fazer o que estava sendo feito até então. O jeito é sair do padrão, esquecer costumes que pouco acrescentam e repensar o jeito de levar o dia a dia para, assim, sobrar tempo para o que pode ser a tal grande mudança – ou o começo de tudo. Seria muito mais confortável me manter no mesmo lugar, onde tudo funciona agradavelmente e, ao menos no geral, não há dor, chateação, risco de ver que sonhei em vão e que tudo não passou de um delírio infantil, motivado por alguns. Mas, se há vontade e uma ínfima chance de funcionar, vale a pena. É só pegar e fazer.

  • %
19 maio 2014
Só na botinha

Botas de cano curto são a cara do inverno e caem bem de maneiras diversas

bota_1
As botas são perfeitas para o inverno. Os modelos de cano baixo, por sua vez, são superpráticos e podem ser usados de maneiras diversas. Seja com salto, bico fino ou detalhes, compõem looks charmosos e até mesmo práticos para o dia a dia.

bota_2

Para alongar as pernas é legal combinar com comprimentos encurtados ou mesmo com calças completamente afuniladas. Nos dias de muito frio, uma meia-calça ajuda a finalizar o look.

bota_3

Com calças afuniladas as botas sem salto ficam ainda mais despojadas e casuais. Se o modelo tem salto ou bico fino, a sensualidade fica mais evidente.

bota_4

Outra opção bacana é combinar a saia longa com a bota de cano curto. Fica muito interessante e inusitado. O legal é ter uma botinha curinga e experimentar o uso de maneiras variadas. Inspire-se!

 

  • %
12 maio 2014
Fazer acontecer

Transformar uma possibilidade em realidade é a consagração de cada trajetória

theway

Aos que dependem da inspiração para trabalhar, e viver, algumas coisas fazem toda a diferença. Um bom banho, uma paisagem bonita, um link interessante, uma música que toca lá dentro e, claro, um bloco de anotações (físico ou virtual) para não deixar nenhuma ideia – seja boa, ou ruim – escapulir.

Aliás, uma ideia é sempre uma boa ideia só por existir. A princípio, pouco importa avaliar, a fundo, a qualidade da mesma. O que vale é não sossegar. É isso que difere as pessoas medianas das que fazem a diferença. A capacidade de transformar uma possibilidade em algo real. A capacidade de enxergar além da superfície, de ver nas dificuldades um trampolim e nos desvios do percurso uma forma de adaptar e melhorar o produto final. Se cada projeto é um sonho, ou ao menos um desejo, cada novo momento traz a necessidade de se manter inspirado. E isso deve ser um exercício diário – mais um entre vários. Antes que o tempo passe e as chances se percam. E quando a ideia se transforma em algo bom, alimentando novas e grandiosas expectativas, chega o segundo momento… o mais desafiador! Manter a energia e fazer acontecer. A trajetória, para quem vive agora, não tem fim… ela está em permanente construção. Nós apenas não podemos parar.

  • %