Conversinha Fashion » 2014 » abril
30 abril 2014
Calça confortável

Seja no couro ou no moletom, a calça jogging é uma boa proposta para a temporada

jogging_1

Com foco na moda esporte e no conforto, as calças jogging ganham força a aparecem tanto no couro – como uma forte tendência para o inverno – quanto no moletom.

jogging_2

Soltinhas, caracterizadas por gavião baixo e elástico na cintura e na barra, a peça é puramente despojada. Mas, quando combinada a saltos altos e acessórios dramáticos, gera um contraste superinteressante.

jogging_3

Para se manter fiel ao estilo da peça, vale manter o foco nas modelagens soltinhas e combinar com camisetas e camisetas levemente ajustadas, seguindo a forma sutilmente ampla proposta pela calça jogging.

jogging_4

A combinação com tricôs ou mesmo a inserção de uma terceira peça, como um blêizer, também gera um resultado interessante. Vale experimentar.

  • %
28 abril 2014
Aceita e curte

Chega um momento da vida no qual o drama perde o seu valor e os presentes entregues pelo acaso se mostram mais do que merecidos e valiosos

drama

Ela escutou aquela história e foi como se escutasse seus próprios problemas. De repente, o drama já não faz mais parte de seus desejos e de suas prioridades. Parece que envelhecer – ou, poeticamente, amadurecer – é perceber que nem tudo precisa ser difícil e que nem sempre o desafio se faz mais interessante.

Temos o triste hábito de desprezar, ou desvalorizar, o que é fácil. Mesmo sabendo que não necessariamente o que vem fácil, é pior. Isso deve vir da mania que temos de potencializar os méritos de quem alcança as conquistas supostamente mais difíceis. No entanto, sabe-se lá as custas de que e por que. Além disso, há de se aceitar e abraçar o que a vida entrega e que, como um presente, parece ser perfeito! Para que fugir do que faz bem? O trabalho dos sonhos, o marido ideal, a amiga que nunca decepciona… por mais que sejam questões idealizadas, são possibilidades que, se colocarmos os pequenos defeitos em segundo plano, podem muito bem ser encarados como tal. E existem, dentro de suas limitações. Chega de lutar contra a felicidade. Se é bom e traz paz, é porque faz bem. Aceita e curte.

24 abril 2014
Chuva de imagens

Candy colors vão muito além da tendência e servem de inspiração para combinações leves e delicadas

candy_1

A moda é cíclica, o que não é nenhuma novidade. E de tempos em tempos, as candy colors – ou cores de bala – reaparecem, sejam nas roupas ou nos acessórios.

candy_2

O resultado das cores clarinhas combinadas em um tom sobre tom leve e delicado é muito positivo. Além disso, favorece fortemente a silhueta por criar uma linha longa e única. Vale dizer, também, que é uma ótima maneira de aplicar um pouco mais de leveza e delicadeza ao visual.

candy_3

Quando pensado em looks um pouco mais invernais, fica perfeito para quebrar um pouco da pegada óbvia dos visuais pesados e escuros. As baixas temperaturas não precisam, necessariamente, estar acompanhadas de cores dramáticas.

candy_4

No mais, o choque entre verde, rosa e azul gera um efeito muito interessante. Com isso, pode-se combinar sem medo as candy colors. Aos que querem uma opção mais básica, o jeans surge como uma boa base.

  • %
10 abril 2014
5 motivos para não ser blogueira de moda

blogblog

Dezenas de centenas de blogs de moda e comportamento estão na internet. Quer criar um para chamar de seu?! Lembre-se de que é importante gostar de escrever, enfrentar a onda consumista, entender algo sobre o assunto (mais do que gostar de roupas e compras) e manter os pés no chão. De toda forma, nem toda menina precisa, deve ou tem que ser blogueira. Muito pelo contrário.

1. Fuja da onda consumista. O mundinho dos blogs de moda, lançamentos, eventos e mimos alimenta o desejo de compra e fomenta uma pequena (para não dizer gigante) obsessão por compras. Não é raro escutar relatos de gente que conta que gastou mais do que podia/devia ao se aventurar pelos “looks do dia”. Aparentemente, a vontade de se mostrar muito se confunde com o desejo de afirmação que cai justamente na mania de ter para (tentar) ser.

2. Uma profissão para poucos. Nem todo mundo precisa, deve ou tem que ser blogueira de moda simplesmente porque gosta de roupas, de itens de beleza ou mesmo de marcas e compras. Além disso, ser uma leitora não é algo que lhe obrigada a ter um blog para chamar de seu. Está tudo bem em ser o expectador e acompanhar e curtir as conquistas de seus ídolos (dá pra chamar assim?!). Admirar o trabalho de algumas meninas muitas vezes já é mais do que o suficiente. Aceite. Existem tantas profissões legais por aí…

3. É preciso gostar e entender do riscado. Não queira falar de um assunto do qual você não domina. Embasamento sempre é essencial! Lembre-se de que antes de publicar sobre qualquer coisa, é preciso estudar, pesquisar, mergulhar no assunto e isso não se resume a navegar pela web. Ter posses e condições para comprar tudo e frequentar todos os eventos também não é um passaporte para ter um blog de sucesso. Isso já está mais do que comprovado. Dinheiro não garante lugar nem mesmo na coluna social. Sendo assim, se você quer falar sobre algo, procure falar sobre algo que lhe atrai. Sobre um assunto que te cativa. Também existem blogs sobre música, viagem, dieta, educação, amor… tudo é assunto para postar.

4. Se não gosta de escrever, não tenha um blog. Não se engane ao pensar que moda não é conhecimento. Nem sonhe em criar um blog de moda se você não gosta de escrever. Crie, então, algum outro tipo de produto, que não tenha textos. A característica principal do blog são os textos – ainda que combinados a imagens, vídeos e outros tipos de inserções (o céu é o limite). Se vai se arriscar, escreva certo. Não jogue lixo na internet.

5. Não crie expectativas. Acredite, entre milhares de blogs e blogueiras, existem pouco mais de duas dezenas delas que são bem sucedidas no país – que realmente pagam suas contas com a profissão blogueira. Além disso, há apenas uma Thássia, duas Camilas, uma Nat e uma Lu. Não mais. Não copie ninguém.

  • %
02 abril 2014
Pow, boom, ka-pow

Onomatopeias ilustram camisetas e explodem em estampas divertidas e inusitadas, deixando o visual superjovem e pop

pop_0

Onomatopeias tiradas diretamente dos desenhos em quadrinhos saíram das revistas e invadiram as roupas, aparecendo em estampas jovens e divertidas. A tendência com pegada pop art é muito divertida!

pop_1

Para quem quer explorar sem mergulhar, vale apostar nas camisetas com o desenho localizado. A escolha cai bem em contextos diversos e deixa peças tradicionais um pouco menos sérias, permitindo combinações inusitadas e contrastantes.

pop_2

Nos acessórios, os desenhos surgem agigantadas, como que recortados diretamente dos quadrinhos. Para as corajosas, vale incorporar a referência em peças 100% tomadas pelo padrão – puro exagero.

pop_3

O toque irreverente e divertido das onomatopeias faz com que ela deixe o look até mesmo um pouco infantilizado. Daí que vale arriscar nos comprimentos encurtados combinados com as camisetas básicas ou mesmo contrastar saltos altos para dar uma levantada no visual.

  • %