Conversinha Fashion » 2014 » janeiro
30 janeiro 2014
Chuva de imagens

Folake Kuye Huntoon sabe ser referência com looks ora inusitados, ora clássicos e atemporais

SP_0

No mar de blogueiras, são poucas as que conseguem chamar atenção e se destacar. Folake Kuye Huntoon, do Style Pantry, é uma dessas. Cheia de personalidade, ela, que trabalha com moda e mora na Califórnia, tem um estilo muito legal e uma beleza indiscutível.

SP_1

Seu visual consegue ser sensual e elegante ao mesmo tempo. A silhueta alongada, com curvas pontuais, permite peças justas, comprimentos encurtados e decotes estratégicos sem cair na casa da vulgaridade.

SP_2

Outro ponto de destaque nos looks de Folake são as combinações de cores. Rosa e azul são tons que aparecem em vários looks, fazendo saltar o tom de pele. O bege/marrom, por sua vez, é trabalhado com sabedoria, fazendo um tom sobre tom que entrega ótimo resultado estético.

SP_3

Além disso, personalidade não falta, a começar pelos toques de beleza. O cabelo cacheado, característico da blogueira, recebe como complemento uma maquiagem leve, mas estratégica. Pele perfeita, lábios nude e olhos levemente esfumados são aposta recorrente de Folake, que também gosta do batom escuro como forma de ressaltar seus traços naturais.

SP_4

No geral, um caso clássico de alguém que tem muita consciência corporal, sabe aproveitar seus pontos fortes e se vestir com personalidade (sem cair nas garras no exagero). Inspire-se!

  • %
28 janeiro 2014
O melhor investimento

Viajar não basta: é preciso mergulhar no destino para, de fato, aproveitar ao máximo uma oportunidade de descobertas

sky

Escolher um destino, planejar, fazer as malas e partir é um ciclo viciante, um ciclo de descobertas e encontros que abre os olhos e a mente para um novo mundo e para uma nova maneira de enxergar a vida. Existem várias formas de viajar. Muito além da viagem regrada, cercada de guias, orientações e regras previamente estabelecidas, há a viagem de total inserção no estilo de vida e nos costumes daquela população. A viagem completa, de sair pelas ruas caminhando como um local, frequentar dos estrelados aos mais simples restaurantes, dos cafés tradicionais aos bares de esquina, passear não apenas pelos pontos turísticos, mas pelo centro é revigorante. Cruzar as ruas de metrô, sair por pontos desconhecidos, se deparar com rostos estranhos (que geram dúvidas e incitam a vontade de ir além) é o que de fato mostra como funciona um povo, como vivem, o que fazem e do que gostam. A viagem de descoberta, que alimenta a curiosidade e serve como referência e inspiração, é aquela na qual você se liberta dos preconceitos e vai além dos destinos mais comuns; que seleciona a próxima parada pelo que atiça a sua curiosidade e não se fecha em lojas enquanto a vida lá fora – a cultura, propriamente dita – grita por atenção. Tal tipo de viagem não é para qualquer um, mas é para os que estão sempre prontos para sair de sua zona de conforto, abrir mão do conforto propriamente dito e da segurança de seus lares e, assim, amadurecer muito em apenas alguns poucos dias. É por isso que não basta ir, não basta viajar: é preciso mergulhar, abrir os olhos e a alma para novas terras, de corpo e alma entregue ao desconhecido.

  • %
23 janeiro 2014
Seja interessante

Definitamente, não há como agradar a todos então resta se agradar e, assim, ser atraente por ser quem você gosta de ser

youcan

Há um único e simples motivo para não querer agradar tanto, e sempre, a todos – é impossível. Não importa o quanto você se esforce, mude quem você é e tente se enquadrar em fórmulas e estereótipos apenas para pertencer a algum tipo de universo, sempre haverá alguém, em algum lugar, que não se interessa por você (ou por quem você tenta ser). O que você pode conseguir ser, com graça – e sempre – é interessante; interessante por ser quem você é, por carregar seus próprios mistérios e segredos, revelados ou não.

Há de se dizer uma única coisa para tudo isso: ainda bem! Ainda bem que existem gostos diferentes, que existem desejos distintos, que nem todos se sentem atraídos pelo mesmo tipo de silhueta, conversa ou personalidade. É isso que faz com que as pessoas se encontrem e se sintam felizes entre amores e amizades, que os relacionamentos sejam intensos e satisfatórios, e não apenas uma escolha aleatória. A seleção que é feita tem como base a essência de cada um e é isso que faz com que não seja nem um pouco legal querer se mudar – seja pelo motivo que for. Mudar quem você é, o corpo que você gosta de ter, suas vontades, seus pensamentos e opiniões é mudar aquilo que faz de você o que você é. E, no fim, por mais bacana que você pareça para alguém, você sempre será pouco atrativa para outra pessoa logo na esquina ao lado. E há algum mal nisso?! Nenhum. Afinal, o que seria do verde se todos gostassem do azul?!

  • %
21 janeiro 2014
Chuva de imagens

O colete jeans é uma dessas peças atemporais que fazem toda a diferença na hora de montar um look casual e despojado

denimvest_0

Um toque de jeans no visual é sempre uma boa ideia para deixar o look mais despojado e casual. Para tal, vale a pena lançar mão do colete jeans, uma dessas peças que nunca saem de moda e são sempre charmosas.

denimvest_1

Com o colete jeans é supersimples multiplicar as combinações do guarda-roupa, já que uma segunda (ou terceira) peça deixa a produção muito mais elaborada. É bem legal perceber o efeito do colete, por exemplo, sobreposto a vestidos leves ou usado em looks bem básicos, como short e camiseta.

denimvest_2

É bacana também o uso com blusas de manga longa, em composições mais invernais, ou mesmo inserido em coordenações repletas de peças mais arrumadinhas – fica, digamos, inusitado com uma textura de renda, ou com uma transparência ou mesmo finalizado com um belo salto alto. Vale perceber, no entanto, que o uso de muitos acessórios, como colares, deve ficar limitado, já que o colete jeans pesa um pouco e pode desencadear uma poluição visual.

Entre as variações de modelo, o detalhe mais marcante fica a cargo dos comprimentos diversos. Os mais curtos são perfeitos para quem quer destacar a região do quadril. Já quem quer amenizar quadris largos deve apostar nas opções alongadas.

denimvest_3

Longe de combinações monocromáticas ou tom sobre tom, o colete jeans cai bem com estampas variadas e é um convite para um mix de texturas. No uso com saias, por exemplo, uma ótima oportunidade para contrastar volumes. Outra ideia bem legal é usar com calça ou short jeans, misturando lavagens diferentes.

  • %
21 janeiro 2014
Salve o que resta e resolva ser feliz

Salve o que resta, resolva ser feliz. Não se entregue as dificuldades da vida, do dia, do momento. Aos obstáculos colocados por um instante, ao que tira o charme e a cor dos seus dias. Sempre há algo, ainda que mínimo, que vai muito bem (obrigada) e que deve ser louvado. Agarre-se ao que resta e crie forças para não se deixar levar pelo desânimo e pelas dificuldades normais de momentos diversos da vida. Cíclica como é, ela apresenta seus altos e baixos, seus tropeços que assustam, botam medo, enchem de insegurança, mas não devem ser supervalorizados. De nada serve se deixar levar pelo desespero.

ladobom

Podemos pensar que a vida tem como base três pilares: trabalho, família e relacionamentos. Há, ainda, um quarto fator que, sem sombra de dúvidas, muito influencia o humor e a disposição – o lado financeiro. É difícil encontrar um momento no qual todos este três (ou quatro) pilares funcionem em sua total energia, sem falhas ou interferências. O que há, por sua vez, é alguma harmonia se trabalharmos com uma lógica de compensação. O que vai melhor fica em destaque, enquanto o que está em fase de dificuldade fica em segundo plano – em um modo alternativo de funcionamento, como se aguardando a hora de ligar os motores, partir, ou mesmo colocar o trem nos trilhos novamente. Saber mudar o foco, o olhar, as tensões e atenções para lados diversos é o que garante a nossa sobrevivência. É o que nos garante respirando, mesmo naqueles momentos nos quais estamos sufocados pelos sapos que temos que engolir, pelos momentos nos quais nos sentimentos perdidos (sem saída) e naquelas horas que não há nem mesmo uma luz no fim do túnel para guiar a caminhada. Daí, o que fazer?! Respirar fundo, tirar força de onde não há, arrancar de algum lugar qualquer mínimo fio de vontade para acordar novamente, se preparar, seguir em frente. E quer saber?! Tudo passa. Seja paciente. E já que tudo passa, dá pra ser – e temos que ser – felizes com o que temos. Decidir o que dá pelo caminho, nos agarrar ao que resta e ter forças para arquitetar cada recomeço.

  • %