Conversinha Fashion » 2013 » abril
29 abril 2013
Ooops!

ops_1

Peças legais não são o bastante para a construção de um look interessante. É preciso compor/combinar bem. Cada modelagem e cada tecido possuem características próprias e é pensando nelas que decidimos como montar um visual – preferencialmente acertado. O resultado positivo vai além do gosto pessoal.

ops_2

Se a saia é mais fechada e comprida é preciso pensar em calçados que alonguem as pernas, para não prejudicar o equilíbrio visual da silhueta; sendo assim, sapatos pesados não são uma boa ideia e devem dar lugar a calçados de gáspea aberta. Sapatos grosseiros, por sua vez, podem destruir uma calça sequinha; adicione no look a ideia de uma jaqueta pesadona mais um acessório extra (que adiciona peso visual), que o resultado é de chorar, com exagero desnecessário. No jogo da sobreposição, é preciso tomar muito cuidado para não perder a mão, principalmente quando as peças não se comunicam pelo estilo, cor, textura ou contexto. No mais, vestir e se fantasiar são coisas distintas; uma peça divertida, inusitada, cai bem com peças mais básicas ou clássicas. Por fim, a lembrança de que nem todo look do dia que circula na rede é acertado ou de fato inspira. Muitos deles apenas ensinam como não se vestir.

  • %
24 abril 2013
Só pra constar

weare

Existe uma razão para algumas pessoas serem queridas. Elas não são lindas, ricas ou bem sucedidas. Não tem muito a oferecer, além de uma enorme simpatia e uma capacidade incrível de divertir. Não são as donas das melhores piadas, mas são sinceras, boas em suas essência. Não falam mal de ninguém, mas também não deixam de apresentar uma opinião própria. São envolventes, passam longe de escândalos ou confusões. Se diferem de maneira extrema dos que não perdem uma oportunidade única de destilar seu veneno, de mostrar suas garras, de alfinetar tudo e todos. Estes, os maldosos por natureza, pensam que ganham ao atacar a “concorrência”, mas não percebem que tudo o que levam como prêmio é a fama de inadequados. E assim são. Não são queridos, não fazem falta. Armados com críticas e com a intensa vontade de atacar, escondem muita insegurança – ou falta de caráter, e acabam entre um mar de falsidade, em um mundo no qual são muitos os que se fantasiam de bondade para espalhar coisas ruins. Resta saber, e lembrar, que atraímos o que entregamos ao mundo. Quem você quer ser?!

  • %
23 abril 2013
No estilo cowboy

Botas de estilo western mudam o tom do visual de inverno e são tendência para a temporada

western

Caracterizadas por costuras, bordados, biqueiras de metal e tachas, as botas de pegada western reapareceram com força total para este inverno. As opções caminham entre os canos curtos e longos, e vão desde modelos mais básicos aos altamente trabalhados.

western_1

O legal da peça é que ela dá um tom levemente grosseiro ao visual, sem colocar em risco a feminilidade. Vale apostar, no entanto, nos comprimentos encurtados para deixar o visual mais moderninhos, ou mesmo compor com tecidos como tricô ou jeans para um resultado contrastante.

western_2

Como a bota western já é um acessório de peso, os demais acessórios podem, e devem, ser mais neutros, para evitar o exagero visual. No mais, a ideia de compor com sais e vestidos femininos também gera um resultado estético bem interessante.

  • %
16 abril 2013
Sem abrir mão da feminilidade

Na luta dos gêneros, podemos ter o que queremos sem abrir mão de nossa essência, sem deixar de lado o que é nosso

girlpower

A busca por atenção e respeito por vezes quebra a leveza e a feminilidade das mulheres. Isso acontece não apenas no ambiente profissional, mas também no universo dos relacionamentos. Lutando contra o machismo e buscando maneiras de sobressair em um mundo que, ainda, supervaloriza a capacidade dos homens, nós, mulheres, acabamos colocando em segundo plano características que podem ser a base da força para que possamos conquistar coisas grandes – cada vez maiores. É interessante pensar que percepção, criatividade, atenção aos detalhes e até mesmo o perfeccionismo que nos rodeia podem servir como ponto extra, transformado em voto de confiança. Colocando em segundo plano pequenos defeitos típicos do gênero feminino – como a hiper-valorização da crítica, o pessimismo e a tendência à picuinhas – conseguiremos nos destacar sem precisar abrir mão da nossa vaidade. Encontrar o equilíbrio é sempre a receita para conseguir se sair bem nos desafios da vida. As qualidades dos homens podem ser sim assimiladas, mas não precisam ser transformadas em regra ou, em sua totalidade, em essência. A tentativa é fraca e não convence. Além disso, não cai bem por não ser genuína. A luta por salários menos desiguais, por oportunidades similares ou mesmo por respeito ainda está longe de ter um resultado plenamente satisfatório, mas já encaramos melhorias, principalmente quando observamos, atentamente, o quanto já conquistamos nos últimos anos e décadas. O desafio, claro, é conciliar tudo o que conquistamos com as tarefas que já eram nossas, pois, na ânsia por ir além, acabamos acumulando múltiplas responsabilidades que não foram aceitas pelos homens. Repensar o quanto conseguimos, e até onde queremos ir, também é uma escolha pessoal. Vale não se escravizar pelas famosas “fórmulas da mulher moderna” e se sentir bem ao tomar suas próprias decisões, seja de abrir mão do trabalho para cuidar da família, deixar de lado a construção de uma família, ou mesmo exercer o papel de provedora da casa. A hora é boa. Cada uma com o mapa de sua vida nas mãos, decidindo como viver, para onde ir, mas sem se despir da sua essência.

11 abril 2013
Arabescos sem fim

O barroco como tendência exalta o exagero aplicado na moda

baroque_7

A mistura do exagero ganha boas doses de requinte na construção da tendência barroca, aplicada na moda. Imagine uma profusão de detalhes chamativos aliados à tons intensos e elemento que remetem ao luxo.

baroque_1

A referência barroca como tendência leva às ruas peças em dourado, aplicações que lembram pedras preciosas, bordados, arabescos e estampas com florais agigantados.

baroque_2

O exagero não tem fim, mas encontra um pouco de paz nos complementos básicos e em peças de modelagem neutra, que amenizam um pouco do excesso de informação.

baroque_3

Jacquards e brocados se misturam a outras texturas típicas do inverno, como o couro. Para contrabalancear, vale salpicar um pouco do luxo e da delicadeza da seda, que garante seu lugar pelo alto tom de requinte.

baroque_4

É o tipo de modismo que cai bem em ambientes informais, em detalhes bem específicos, ou na vida pessoal festiva, com a possibilidade de vestidos de festa 100% trabalhados ou casacos e jaquetas com muitos arabescos em dourado, saltando no fundo preto ou vermelho.

baroque_5

No quesito cores, aliás, o cobre, o dourado e o preto são os tons da vez. Vale adicionar, ainda, pitadas intensas de vermelho fechado e variações do amarelo – como o laranja.

baroque_8

Para quem não quer se entregar a moda barroca por completo, vale brincar com sapatos baixos decorados com detalhes típicos da tendência, apostar em calças estampadas com foco nos traços e nos elementos que remetem a referência ou mesmo brincar com o dourado.

  • %