Conversinha Fashion » 2012 » novembro
18 novembro 2012
Só pra constar…

Para chegar lá, misture garra, paixão e tesão pela vida

Nem sempre os mais talentosos são os que se destacam, ou os mais incríveis são os que conseguem materializar um sonho ou realizar algo planejado. O que determina e separa os bons dos medianos é a capacidade de se esforçar e realmente se dedicar ao seu objetivo, sem fazer corpo mole, sem ficar com preguiça ou má vontade. Talvez você não precisa ser o mais inteligente, mas por estar ligado aos detalhes, alerta, disposto e disponível, você pode conseguir chegar muito além do que os ótimos – mas apáticos – chegam. E daí que o que faz a diferença é a atitude, a garra, o desejo e a paixão pelo que se faz. Coisa simples para lembrar sempre e levar para a vida. Palavras que às vezes servem de lembrança para os que são fantásticos e estão presos na zona de conforto ou mesmo para os que em meio a rotina entraram no ciclo vicioso da mesmice e perderam o tesão pela vida. Levante-se, encare cada dia de forma positiva e faça o que tem que ser feito, mesmo que isso signifique fazer mais do que você gostaria ou deveria fazer. A vida é assim.

  • %
08 novembro 2012
Bem na foto

Mais importante do que beleza é ter expressão e saber encarar bem a lente


Algumas pessoas tem um super talento para sair bem na foto e qualquer “risco de flash” é razão para um olhar marcante. A verdade é que para sair bem na foto não é preciso, necessariamente, ser bonita. Mais importante é conhecer seu melhor ângulo e, tão importante quanto, mostrar expressão – vida. Tyra Banks, a top modelo e apresentadora do programa The America’s Next Top Model, sabe como ninguém como trabalhar com a expressão e ela, que diz ter mais de 270 sorrisos, já mostrou em vários episódios do programa a diferença brutal que há entre um olhar marcante e um mais apagadinho, desses que ninguém repara.

Na imagem do The New York Times, os sorrisos de Tyra Banks

Melhorar requer treinamento e alguns importante minutos em frente ao espelho. É o truque de experimentar maneiras diferentes de levantar o queixo ou mesmo analisar qual lado do seu rosto, direito ou esquerdo, é o mais bacana. São poucas, ou quase raras, as pessoas com rosto plenamente perfeito que saem sempre maravilhosas quando encarando de frente uma lente. Claro que não devemos ficar escravizados por uma boa foto, mas há um certo padrão automático que acaba se repetindo com o tempo depois que encontramos uma forma legal, e confortável, de posar. São poucas as coisas mais gostosas do que abrir as fotos após uma festa, ou viagem, e perceber que elas ficaram legais.

Além do teste do espelho, vale brincar com uma câmera – nem que seja a do computador. Deixe a vergonha de lado. Outra coisa importante é buscar manter os ombros abertos, barriga pra dentro e bumbum pra fora. O truque da postura, que deve ser trabalhado no dia-a-dia, também merece cuidado porque ninguém quer ser eternizado em uma foto com aparência largada ou pose de sofrimento. Além disso, é importante trabalhar ao extremo o olhar. É uma coisa mínima, discreta, mas importante. Abrir os olhos e deixar algum rastro de sentimento nos lábios ou bochecha é o que importa. Não é preciso sorrir e mostrar todos os dentes, o olhar é que manda. E este pode ser trabalhado no dia-a-dia, a partir do momento que você consegue dizer algo sem precisar de palavras. Já treinou hoje?! =)

  • %
05 novembro 2012
Na onda do manchado

Não é preciso ser hippie para brincar com tie-dye ou deep-dye

Um balde de tinta invadiu o guarda-roupa, com peças contaminadas pelo efeito tie-dye ou deep-dye. Ambos são caracterizados pela mudança no tom do tecido com a inserção de outras cores ou a alteração do tom original. O resultado são machas que funcionam, visualmente, como estampas.

O efeito é essencialmente casual, mas quanto mais discreto e mais delicado, mais versátil a peça fica. Quando marcadas por tom sobre tom ou alterações de cores próximas, as peças ficam mais arrumadinhas. Uma coisa fácil de perceber é que o efeito de retirar a cor do tecido, o tie-dye com descolorante (técnica que talvez até tenha algum nome), é fácil de combinar.

Para equilibrar as proporções da silhueta e manter o peso visual bem distribuído, vale reproduzir no look com peças manchadas a ideia das estampas. O fundo escuro adiciona menos peso visual que o fundo claro; além disso, quanto maior o contraste entre as cores (a diferença) mais peso visual a peça acrescenta. E as manchas mais claras devem ficar em um ponto um pouco mais alto para quem não quer perder em estatura.

O legal é combinar as peças manchadas com complementos neutros, principalmente no caso de shorts ou calças que já chamam, naturalmente, muita atenção. Além disso, o tie-dye ou deep-dye conversa super bem com complementos em jeans, pois o tecido carrega o mesmo espírito da técnica. O efeito lá da década de 60, 70, que carregava cores super fortes e vibrantes, ainda possui força atualmente, mas pela recorrência dos tons neon como tendência. Com raiz hippie, apesar de sua origem antiga, pode ser super bem explorado.

  • %