Conversinha Fashion » 2012 » junho
28 junho 2012
Vista-se, prepare-se

Escolher a roupa é se preparar para o que vem pela frente

Podemos sentir, diariamente, que gastamos muito tempo escolhendo a roupa que vamos usar. Isso vale, também, para o tempo dedicado à produção, ao ato do vestir e se produzir. Acontece que esse momento guarda muito mais do que o ato em si. Se vestir, se produzir, é se preparar para enfrentar o dia pela frente  – ou um momento específico. É uma ação que inclui um grande valor e é de enorme importância, por ser determinante para o que acontecerá em seguida.

Tudo muda quando estamos confortáveis com o que vestimos, quando a roupa é uma extensão real do que somos ou queremos ser. Assim, ao abrir as portas do guarda-roupa estamos abrindo um leque de opções, que precisam ser boas – é claro. Mas, muito além disso, deve haver toda uma vontade interna, uma empolgação, para ter um dia bom, se preparando visualmente, sabe?!

E esse momento de vestir a roupa, cuidar da beleza, passar uma maquiagem, colocar os acessórios finais, é também um momento para colocar as ideias em ordem, mentalizar as coisas funcionando bem e respirar com calma para que tudo dê certo.

27 junho 2012
Combine como a natureza

Nas flores estão boas ideias de junção de cores, para quem quer um dia-a-dia mais alegre

As vezes misturar cores e combinar tons pode parecer um pouco difícil. Mas a natureza ensina e mostra formas de reunir cores que conversam e, por isso, combinam. O importante é abrir a mente e se deixar levar pelas inspirações.

O segredo, sempre, é não querer casar tudo nos mínimos detalhes. Se assim fosse, as únicas composições possíveis seriam as do tom sobre tom, certo?! Pois bem. As flores mudam de cor no decorrer do tempo, pelo processo de envelhecimento, mostrando como rosa e amrelo, por exemplo, podem sim estar juntos em um mesmo lugar.

As combinações na natureza aparecem também em folhas e flores que em cada pétala carregam um tom diferente, as vezes surpreendendo com tamanha ousadia.

Mas se observar a natureza anda um pouco difícil, vale tirar inspiração das estampas e, principalmente, dos florais, buscando maneiras de jogar aqueles tons em pesas lisas ou mesmo nos acessórios.

Assim, fica claro que verde e rosa podem ser usados juntos, além do azul com amarelo, o verde com marrom ou mesmo ou lilás com cinza. Não há limite! Mas tudo isso precisa começar em algum lugar. Se você admira e adora cores, acha lindo nos looks de terceiros, vale apostar em peças coloridas para ter, no guarda-ropa, opções interessantes que dêem como fruto boas composições.

26 junho 2012
Ooops!

A dúvida é: há necessidade?! São looks que, de forma geral, funcionaram bem. A combinação de amarelo com azul, ainda que contrastante, conversa e possui harmonia; o mix de bege, marrom e marinho, então, nem se fala. No entanto em um detalhe ambos os looks deixaram certa estranheza visual no ar. A meia assim curtinha, ou mesmo soquete, encurta as pernas e não acrescenta nada de positivo ao conjunto. Vale deixar de lado essa referência.

  • %
24 junho 2012
Mude o trajeto

Uma rota viciada guarda o peso contrastante do conforto e do distanciamento da possível felicidade

Quando você se sente prezo ao chão, talvez seja o momento de se movimentar e dançar com a vida para se libertar do que lhe arrasta para baixo. É nessas horas que vale a pena ignorar regras impostas pelo mundo, questões puramente sociais que lhe inibem ou lhe afastam do que você considera real e importante. É quando você se sente prezo, e se sente triste por isso, que vale a pena cortar ligações com o que lhe faz mal e se liberar para uma vida mais leve, com menos cobranças e mais realizações. É ai que abrimos as portas para coisas boas, quando deixamos de lado energias ruins para curtir boas vibrações.

É automático. Quando estamos ali prezos ao que temos de pior, estamos em um constante processo de limitação, um eterno caminho vicioso onde entramos e saímos pela mesma porta sem encontrar um lugar que seja melhor. As vezes é preciso mudar o trajeto, arriscar um caminho novo para que algo fora da mesmice aconteça. Estamos sempre limitando nossas conquistas quando deixamos que opiniões alheias inferiram na nossa história. Mais uma vez, e sempre, somos nós os autores de nossas próprias histórias – em um mundo que é um mar de possibilidades.

23 junho 2012
Leve, leve

Deixe o preconceito de lado e aposte nas peças brancas

É quem foi que disse que peça branca só combina com virada de ano?! Nada disso. Leve, chique e neutra a cor merece espaço no dia-a-dia, e todo preconceito quanto aos seus fatores “engordativos” podem e devem ser vistos como lenda. Nenhuma roupa engorda, elas apenas valorizam, ou não, a nossa silhueta – e isso podemos e devemos ser capazes de controlar.

 O branco é tão interessante que serve como base para valorizar outras cores, como o preto ou o vermelho que saem super beneficiados pelo contraste. Tons pastel ou mesmo outros neutros, como o marrom ou o marinho, saltam ao serem combinados a cor clara.

Além do mais, a cor é ótima para quem quer revelar cada detalhe da modelagem, valorizando um bom corte ou um detalhe interessante. O branco funciona igualmente nos casos de tecidos requintados que por si só já fazem o look ficar um arraso. E a mensagem enviada é de elegância, de sofisticação.

A junção de peças na cor branca, ou neutros clarinhos como o areia ou o bege, funcionam bem dependendo das características da união, e carecem muito de bons acessórios. Uma ótima saída é investir em calçados ou bolsas de cor vibrante, ou mesmo cair na casa clássica do preto. Vale lembrar que o branco, liso ou com poucos detalhes, agrega pouco peso visual. E é importante que a peça nunca esteja justa demais, super colada ao corpo, com foco naquele espaço de um dedo entre pele e tecido.