Conversinha Fashion » 2012 » janeiro
14 janeiro 2012
Girl with Curves: Tanesha

Com muita confiança, Tanesha é uma Girl with Curves cheia de charme e beleza de sobra

Aceitar a silhueta e explorar ao máximo o corpo que se tem é uma arte. A beleza está no bom aproveitameto das características pessoais e não na escravização pela busca de um corpo, ou uma forma, imposta culturalmente, longe do que é possível por questões pessoais, genéticas, ou de biótipo mesmo.

A verdade é que Tanesha é linda como é. Seu rosto, sua postura, sua naturalidade, apresentada também na maquiagem, mostram como é possível ser referência tirando proveito de um corpo fora dos padrões apresentados pela mídia e, agora, também pelos blogs que pregam a magreza como a receita milenar para a felicidade.

Ser magro, estar magro, é muito menos importante do que ser confiante e estar radiante com a imagem que apresentamos ao mundo. Talvez, nessa busca por auto estima e por bem estar é que muitas meninas se perdem, pensando que a tristeza que elas carregam está no sobrepeso quando na verdade está em outras coisas muito diferentes.

Outro ensinamento da “Girl with Curves” é a forma com que ela explora marcas populares, e também a repetição de peças. Aha! Inclua aí Forever 21, H&M, Old Navy e todas as outras que adoramos pelo custo/benefício.

Com roupas que respeitam e conversam com as linhas de sua silhueta, a blogueira ensina como valorizar a clássica silhueta triângulo, tão comum em terras brasileiras.

As peças de baixo são quase sempre mais limpas e leves, alongadas, do que as aplicadas na porção superior. Além disso, as sobreposições, ainda que discretas, garantem o equilíbrio visual das proporções e o ponto focal próximo ao rosto, um grande ponto forte de Tanesha.

E pensa que ela só aposta em cores escuras? Nada disso. Estão presentes tons variados, vivos e vibrantes, aliás. Inclua aí o tão temido branco, em camisetas que marcam a linha da silhueta, e tambéns tons de bege que são apresentados como perfeitos neutros para seu tom de pele.

A confiança de Tanesha, no mais, pode ser percebida também na sua atitude de assumir os cabelos cacheados, ainda que brinque com o liso, apostando na naturalidade como ponto principal. Ela sabe o que faz. E, talvez por isso, possa ser uma luz para quem se esconde por não estar super magra e, com isso, perde a chance de estar incrível (e ser incrível) com o corpo que tem hoje.

  • %
12 janeiro 2012
Decorismo: bons sonhos

O quarto é o ambiente mais importante da casa e, mais do que isso, o mais pessoal

O lugar para relaxar, recuperar as energias, esquecer do mundo e descansar deve ser aconchegante. Não importa o tema ou a inspiração para a decoração. O importante é ter no quarto um ambiente agradável, com roupa de cama limpa e colchão adequado.

No entanto, cuidar dos detalhes auxilia a potencializar o descanso, o relaxamento. É fácil saber que, por exemplo, colchas macias e almofadas empilhadas são um convite para uma soneca. Cortinas capazes de escurecer o ambiente também são indispensáveis, pois bloqueiam a luz externa na medida para um cochilo fora de hora.

O ambiente pode e deve representar o que mais lhe agrada. Impossível negar que os tons claros, pastel, suaves, acalmam mais que as cores vivas e alegres; no entanto apostar em cores vibrantes, que alegram, pode ser alternativa para personalizar ainda mais o ambiente. Vale deixar esses tons para detalhes, como almofadas, colchas ou mesmo pontos de decoração que fiquem longe da linha dos olhos, ao deitar.

A tentação da televisão próxima a cama é grande, mas deve ser evitada. Eletrônicos, incluindo computadores e afins, devem ser deixados para outros ambientes. Estes objetos carregam a energia do local e dificultam o relaxamento. No mais, a luz forte da televisão ou o barrulho constante da mesma pode acabar desencadeando problemas como insônia ou noites mal dormidas.

Já ficou claro e evidente que o quarto deve ser pensado em torno do sono. Aliás, passamos um terço de nossa vida dormindo (e o Conversinha não está fazendo propaganda de colchão), então é válido investir tempo e esforços para deixar o local ainda mais confortável. Quadros e retratos de pessoas queridas, por exemplo, geram uma sensação super gostosa de bem estar. Ao lado da cama é importante reservar um local, um criado-mudo, para colocar os livros ou revistas de leitura atual, os óculos (para quem precisa desse acessório), celular ou outras coisas importante, como um copo d´água, sempre tampado.

Com a decoração pronta, resta cuidar para que a cada dia o ambiente esteja perfeitamente organizado e arrumado para lhe receber após um dia cansativo. Nada pior que chegar em casa e encontrar tudo amassado, então vale ter o cuidado, e o esforço de manter o ambiente arejado, limpo e organizado.

10 janeiro 2012
Organize sua vida financeira

Muita calma e paciência: é sim possível dominar seus gastos e sair do vermelho

Se endividar não é algo difícil. Na verdade, é bem fácil e acontece rápido, em um piscar de olhos. A tentação dos cartões de crédito, dos parcelamentos, dos tais créditos mágicos disponíveis logo na página do banco (um convite ao mundo dos juros), levam a gastos exagerados e desnecessários com coisas que de fato nem precisamos. Isso sem falar no cheque especial que engana nossos olhos ao liberar quantias absurdas em nossa conta, confundindo nossa mente e nosso auto-controle.

Criamos necessidades e sofremos para alimentar essas ambiciosas escolhas. Nossos gastos, aliás, são pessoais, são escolhas, decisões de como viver. Porém, em meio a um universo que incita o consumo diariamente, a todo o momento, vale cuidar para que as compras não virem uma obrigação, um dever, parte natural da rotina, dominando a vida. Se escravizar pelo consumo é se acorrentar a um círculo de problemas sem fim. É preciso ser o dono de suas contas, evitando que as mesmas se transformem em problemas (sérios) para a vida. Precisamos de tudo o que compramos? E mais do que isso, gastamos o quanto podemos gastar?!

Evitamos sempre encarar os nossos números. São estes as nossas contas, nosso salário, nossa renda, nossas dívidas… vale pensar que um parcelamento ou um financiamento, por exemplo, é uma dívida! Afinal, é algo que você deve – ou seja, que você ainda precisa pagar. Daí o problema dos cartões de crédito, que escondem o tamanho do nosso problema em meio a opções de parcelamento em 2, 4, 12 ou 18 vezes. Quão louco é, por exemplo, parcelar a compra do supermercado? Comemos todos os dias, certo?! Fazemos supermercado todos os meses ou toda semana, não?! Então…

Para quem sofre com finanças desrreguladas vale apostar em algumas saídas. Não gaste através de muitas fontes. Evite usar, simultaneamente, cartão de crédito, débito, cheque e dinheiro (vivo). Limite suas opções e com isso você estará, também, limitando o poder de ação da tentação. Quando você concentra todos os seus gastos em um único lugar você passar a ter mais consciência dos seus números, dos seus valores diários. Assim, fica bem mais fácil saber para onde o seu dinheiro está indo.

Sente que o dinheiro desaparece? Um ótimo exercício, ainda que cansativo, é anotar todo e qualquer gasto durante um tempo mínimo de um mês. Inclua na listinha até mesmo a balinha, o pão de queijo ou o trocado para o flanelinha. Tudo isso conta e, por vezes, grandes valores se perdem nos pequenos gastos do dia-a-dia. Com essa listinha, ou listona, você terá a prova do crime e vai passar a pensar duas, três vezes antes de gastar com pequenas/grandes bobagens.

Economizar, ou ao menos gastar uma quantia compatível ao seu salário, é questão de prática. É importante separar ao menos um pouquinho do seu salário, ou rendimento, para realizar sonhos, sejam eles uma viagem, um carro ou a entrada na compra de um apartamento. As vezes os cortes são dolorosos, podem sair do hábito de jantar fora várias vezes na semana ou mesmo do costume de fazer supermercado naquele lugar badalado, de sacolas reciclaveis coloridas. Porém, vale pensar no quanto vale o seu dinheiro e no tempo que você leva para ganhar cada único real. Dar valor ao dinheiro não é se escravizar pelo mesmo, é saber que precisamos ter controle do nossos dinheiro, tomar as rédeas dos nossos gastos.

O blog Mulheres Endividadas, da CBN, é ótimo para quem quer aprender a se controlar; vale também par quem já está atolado de dívidas. As dicas na rádio são super legais e despertam um desejo extra de poupar e de ser mais controlada, consciente. Vale a visita. =)

10 janeiro 2012
Interprete e modifique a referência

Ter estilo é saber brincar com as referências, é se inspirar sem copiar cegamente

Em um tempo de referências, de inspirações mil em blogs, revistas e filmes, é interessante fugir da preguiça. O que importa, ou vale, não é simplesmente fazer a combinação de qualquer forma. O importante é dar vida ao look, com detalhes ou modificações cada um deve selecionar.

Aqui, por exemplo, duas interpretações para a junção de jeans e camisa/bata. A modelagem diferente da calça já diz muitos sobre cada mulher, mesmo que a forma de usar ou prender a peça superior seja semelhante. Uma mulher passa uma mensagem mais firme, decidida, sexy, enquanto a outra é naturalmente confiante, deixando a sensualidade subtendida. Ao “copiar’ uma ideia, não podemos esquecer de dar nossos toques na referência. Isso é ter estilo!

  • %
09 janeiro 2012
Só pra constar…

Se vamos ser julgados de qualquer maneira, por que não apostar no que realmente queremos? É muita perda de tempo viver nossa vida seguindo regras impostas pelos outros. Sendo assim, comece a semana fazendo o que gosta, vivendo como gosta, e seja julgado por ser feliz!

“Eles te dizem para você ser você mesmo e logo depois te julgam pelas costas”