Conversinha Fashion » 2010 » dezembro
30 dezembro 2010
E que venha 2011

Eu espero várias coisas de 2011, sendo que algumas não fariam mal na vida de ninguém. Espero reclamar menos, resmungar menos, lamentar menos… como desejo eterno de renovação. Espero trabalhar mais, muito mais, sem deixar de lado o lazer e a diversão. Espero continuar rindo de bobagens, gargalhando ao lembrar de piadas internas que ninguém entende e me emocionando com qualquer bebê fofo ou cachorro engraçadinho. Desejo desencanar de certas coisas para me encantar com outras coisas novas… Espero encontrar ou reconhecer um homem incrível, que nem precisa ser tão incrível para o mundo mas que seja incrível para mim; espero abraçar esse tal momento sem deixar o mesmo passar por inteferências externas. Desejo alimentar minha fé, espiritualidade, acreditando em coisas que estão fora do meu alcance – mas me dão grande paz e calma nos momentos de tensão. Quero passar tempo com minha família, amigos companheiros eternos e pessoas do bem. Conto com a continuidade do meu maior projeto, transformando em texto aquilo que me move e que me faz amar a relação pessoa x roupa. Quero viajar, amar, voltar. Quero ir para Santiago cumprir a promessa que fiz aos pés da Virgem no Cerro San Cristóbal… Desejo reencontrar clientes do passado com a esperança de que eu continue conhecendo pessoas e histórias incríveis que tanto me ensinaram nesse último ano. Quero continuar suspirando com músicas que fazem sentido só para mim, a cada trilha escolhida para animar longas horas dentro do carro que me levam e me trazem para um vida que eu, novamente, escolhi. Espero gastar menos, viver mais; comprar menos, explorar mais cada pedaço de compra. Quero continuar tendo nas roupas memórias e recordações, traços de alegrias. Desejo ficar menos tempo conectada, mesmo que essa ligação virtual me aproxime de pessoas da vida real; quero transformar o online em contato cada vez mais direto, ainda que haja a dificuldade da distância. E que o 2011 seja de paz e realizações voando cada vez mais alto em busca daquilo que faça os dias sempre tranquilos e alegres. Que sentimentos bons permaneçam voltando, que maldades continuem ficando pela metade perdendo força nas barreiras que podemos construir ao nosso redor. E, no fim, que sonhos se concretizem apenas se forem o melhor para mim. Que erros aconteçam para me fortalecer, que escorregões me mostrem melhores alternativas, que meus pressentimentos parem de me pregar peças. Nessas entregas e esperas meus desejos para 2011… que 2010 foi de luta e auto-conhecimento, de amadurecimento e conquistas, de extremos. Que a paz que busquei e encontrei se estenda por tempo indeterminado.

Espero que todos tenham paz (muita paz) nesse 2011. Que venham momentos felizes, muitas alegrias, sem medo ou receio de mudanças. Agradeço muito a todos que fizeram parte do meu ano (de clientes à amigos, colegas e família), agradeço aos que me magoaram pelos ensinamentos e lembranças e agradeço, por fim, aos que acreditaram em mim virtualmente depositando grande confiança no meu serviço virtual. Estarei aqui durante todo o ano que se aproxima e por tempo indeterminado. Como sempre digo esse espaço é meu segundo caderninho de anotações onde registro um pouco de tudo que aprendo dia após dia com essa profissão que amo e me orgulho tanto. 2011 será, também, um ano bom. =)

 

As imagens são daqui.

  • %
29 dezembro 2010
É tudo questão de planejamento

Preparar-se para uma viagem é organizar o máximo aproveitamento dos dias e do tempo

Há uma grande diferença entre viagens de última hora e passeios realmente pensados, planejados. São meses de preparação, talvez mais tempo do que minha ansiedade aguenta, mas estou curtindo muito todo esse processo. Nisso acabei dando muito valor ao namoro da viagem e seus passeios. Por mais que se deixar levar pelo momento e pelos acontecimentos seja legal isso pode acabar fazendo com que seu tempo seja engolido por esperas e dúvidas enquanto a hora de voltar para o país de origem se aproxima. Ficar em hotel pensando e pensando não é nada legal.

Pesquisar com antecedência lugares para conhecer é ponto de partida. Lembre-se de manter-se próximo a realidade; não há como desvendar ao máximo uma cidade grande, rica, em 10 ou 15 dias, por isso vale o caráter de preferência ou urgência. Selecionar algumas coisas mais do que o tempo permite é boa ideia pois questões diversas podem estragar certos programas. Nisso você já consegue saber previamente, mesmo que por alto, quanto (em dinheiro e tempo) vai gastar em cada passeio. Hoje a internet conta tudo, de valores à horários, e é possível garantir ingressos ou entradas ainda em casa.

Nessa ideia de planejamento é legal deixar as coisas mais intensas para o início e as mais tranquila para o final, já caracterizado por certo cansaço. Intercalar caminhadas à pausas ou descansos ajuda a não queimar toda a animação logo de início.

Para as compras é legal fazer uma boa pesquisa de preços, buscando ver se é mesmo viável ou interessante realizar certas aquisições. A comparação de preços entre Brasil e país em questão pode, na conversão, te contar que a diferença não é lá tão grande quanto espalham por aí. Além disso, conhecendo os preços você já consegue saber quanto quer, pode e vai gastar com cada tipo de compra. Claro que ser super regrado com isso é um pouco difícil, mas evita dividas acumuladas na esteira do desembarque. Nada bom voltar lotado de coisas financeiras para resolver.

Coisas de turista, como guia turístico e mapas, são bem úteis (devo dizer). Bobagem é fingir que sabe se virar quando um outro país, ainda que conhecido, guarda mistérios e complicações. Quando a língua é um problema, no caso de culturas bem diferentes as nossas, um dicionário ajuda – ainda que no celular. Por fim não dar pinta de turista para evitar assaltos e voltas absurdas por taxistas nada legais. Se tudo der errado ao menos não foi por falta de preparo e fica a memória de uma viagem sonhada.

Este post foi editado de sua versão original, publicada em dezembro de 2010

  • %
28 dezembro 2010
The Last Knit

YouTube é uma maravilha. Um vídeo leva a outro, que leva a outro, que leva a outro…. Cheguei ao The Last Knit com uma animação divertida para uma dramática visão sobre comportamentos compulsivos.

  • %
28 dezembro 2010
Se faz sol e tem piscina ou mar…

A época pede banho de sol e por mais que não seja algo indicado pelos dermatologistas é irresistível passar ao menos um tempinho de ócio curtindo a piscina ou o mar. A roupa estratégica, fácil de colocar e tirar, auxilia o momento e pode se transformar em elemento simples para um lanche ou almço pré/pós bronzeado.

Peça única o vestido ou macacão é saída altamente estratégica, fácil. Os modelos encurtados são perfeitos para curtas caminhadas em locais molhados e são frescos como pede a estação. Peças longas são lindas e vaporosas porém tendem a ficar molhadas ou sujas quando arrastando no chão molhado ou arenoso.

Outra boa aposta são as saias curtas acompanhadas de batinhas ou blusinhas básicas, do estilo regata. Como o ambiente não pede muitos acessórios vale caprichar nas cores ou estampas para deixar o visual mais alegre e iluminado. Blusinhas sem mangas ou soltinhas ficam interessantes quando mostrando partes do biquini ou maiô. Essa sobreposição pode ser divertida e se faz adequada ao ambiente.

Nos pés sandálias baixas ou rasteirinhas, até mesmo tênis baixos bem confortáveis para aqueles que aliam turismo, banho de mar/piscina e almoços/lanches. Bolsas a tiracolo ou mesmo mochilas são acompanhamentos legais para fechar o visual e garantir um bom local para carregar os pertences com segurança e adequação.

Não se levar muito a sério é extremamente importante nas férias ou no lazer onde nada precisa ser muito combinado. Melhor que complicar é ir pelo conforto e praticidade… mas nem tanto.

As imagens que ilustram o post são da Cantão.

  • %
27 dezembro 2010
Curiosidade não mata, mas…

Já que o clima geral é de férias deixo hoje aqui o curta Alma, de Rodrigo Blaas, só para espairecer.