Conversinha Fashion » Arquivos » Vestir o corpo que tem… hoje!
27 agosto 2010
Vestir o corpo que tem… hoje!

As vezes me pego vendo Jessica Simpson nos sites de celebridades alô Ego, Katylene e Te dou um dado e me pergunto o que aconteceu com aquela garota radiante que eu acompanhava no seriado dela com seu ex marido (o Newlyweds).

Já não é de hoje que Jessica ganhou peso, mas até ai tudo bem. A silhueta mudou e aparentemente vai continuar mudando, nesse processo permanente de emagrecer/engordar. Seja o que for é preciso aceitar essa nova realidade, em cada momento. Vestir roupas do tamanho certo é pilar básico da imagem coesa e agradável, a chave para que tudo se resolva – ao menos visualmente. Encarar um tamanho grande quando se está acostumada ao pequeno não é simples, mas é necessário… com a vontade ou desejo de um dia, breve, voltar a ter o corpo que se tinha. Enquanto isso, vestir o corpo que tem… mantra de vida!

Tudo bem. No caso específico de Jessica Simpson podemos lembrar que ela nunca teve em seu caminho um apurado senso estético. Super magra e sarada ou mais curvilínea e acanhada ela sempre abusou de (des)proporções estranhas e combinações ‘ousadas’ que parecem ficar duplamente esquisitas quando num manequim de tamanho errado. Uma coisa meio Britney Spears, diga-se de passagem. Quando o corpo é parte do trabalho é preciso estar em dia com a imagem e não apenas apostar em um discurso bonito e alinhado. Jessica disse, um dia desses, que não é preciso ter uma cintura fina para ser feliz… super poético, concordo e assino embaixo… mas nem por isso é preciso utilizar roupas que enfatizem os pontos delicados da silhueta. Com a roupa certa, no jogo certo, Jessica ficaria muito melhor colocando em voga rosto, cabelos e voz que – seja o manequim 36 ou 42.

Foi essa a imagem que me chamou atenção e que me fez lembrar da história de Jessica. Olha, o vestido está absurdamente apertado… o cabelo cobrindo o rosto acentua o incômodo com o corpo, assim como a linguagem corporal totalmente encurvada, quase que de vergonha. Não precisa disso. Se joga num G e vai ser feliz.

Deixe um comentário em "Vestir o corpo que tem… hoje!"
  1. Anônimo
    27/08/2010

    Twitter Trackbacks…

  2. amanda
    28/08/2010

    ô meu Deus, coisa triste é não ter bumbum…

  3. Renata
    28/08/2010

    Vc é ótima!! Adorei o post

  4. Claudia
    28/08/2010

    Manequim 36 sei que é para magérrimas mas o 42 é para gordinhas?

  5. Amanda Medeiros
    28/08/2010

    Claudia, não foi isso que eu quis dizer. A questão foi utilizar uma variação qualquer na grade… como acho (acho!) que a Jessica tem algo próximo a 1,60 ela provavelmente vestia 36 quando magrinha… na época que fez até aquele clip de biquini… e hoje deve vestir algo como 42, 44… mas o 42 pode ser tanto pra alguém magra quanto pra alguém um pouco mais voluptuosa, depende da altura, estrutura corporal. Só isso. =)

  6. Amanda Medeiros
    28/08/2010

    Amanda, ri aqui com seu comentário. rs
    Bjs e bom final de semana.

  7. Fe
    29/08/2010

    Amanda, o blog esta uma graça e o conteudo também, parabens!

  8. Mariana
    29/08/2010

    Meus Deus, estou chocada. 1,60 (aproximadamente) em um 42 não parace bom.. tenho quase 10cm a mais, visto essa numeração e sinto que um tantinho a mais não me faria nada bem..

  9. Mai Saraiva
    30/08/2010

    Nossa! Não fazia idéia que a Jessica estava gorduchinha! Realmente… Quando a mudança de peso é muito grande, tem bastante gente que fica perdida sem saber o que vestir… O caso da Jessica é um clássico dos seres humanos comuns.

    Viva ao espelho! Esse não mente jamais!

  10. Hahaha! Adorei o “se joga num G”! Falo isso pra todo mundo! Tenho até mania de experimentar uma mesma roupa em tamanhos diferentes pra ver o efeito, e muitas vezes me surpreendo! Tenho peças G, sem o menor problema!
    Beijo!