Conversinha Fashion » 2010 » fevereiro
24 fevereiro 2010
Questão de Compatibilidade

Já parou pra pensar se a forma com que você se apresenta, em imagem, está mesmo compatível com as descrições que você faz de si mesma?! Digamos que você se diga clássica, elegante e refinada… Sua imagem emite tais sinais?! E se você se descreve como sexy, ousada, moderna… Seu visual reflete tais sensações?! A compatibilidade entre o que se deseja e o que se expõem, na vida real, é extremamente importante para a boa transmissão de sua mensagem – não apenas para o ambiente de trabalho, mas muito pela vida pessoal/amorosa.

Atraímos o que desejamos e o que combina com nossa personalidade. É como dizem… por que procurar um parceiro em um bar se o que você mais deseja é alguém sem vícios ou costumes ligados ao álcool?! Para o visual e suas relações de atração a regra é a mesma. Muitas vezes pequenos detalhes ou descuidos quanto a imagem acabam por atrair pessoas, acontecimentos ou convites que estão incompatíveis com seus reais desejos por isso que, muitas vezes, coisas acontecem sem que nem saibamos a razão.

Num tempo de muita correria, poucas trocas de olhares e julgamentos rápidos e diretos (muitas vezes precipitados) é preciso acertar de primeira ou ao mesmo chegar bem próximo ao que se deseja expor. No jogo rápido, veloz e cada vez mais dramático dos relacionamentos transmitir o que se deseja com perfeição, primeiramente pelo visual, abre caminhos certos e adequados aos seus desejos. Esta nisso a importância da ligação coesa e coerente entre as vontades do pensamento e a aparência, onde o visual entra como um espelho do que se, é revelando e exteriorizando personalidade e potencial. Está ai o valor alto e importante do reposicionamento que coloca tudo em seu devido lugar.

As blogueiras que ilustram o post entram justamente para mostrar como há harmonia e coerência visual entre os looks que elas fotografam dia após dia. Cada um possui seu estilo, suas características recorrentes que traduzem muito da personalidade de cada uma… que é comprovada através dos hábitos, costumes e até mesmo pela forma de escrever. Aham.

As roupas mudam, peças se repetem, looks são desconstruídos, misturas de cores pensadas de formas distintas e a consistência ou o efeito é sempre bem parecido… tudo muito bem amarrado, como um lookbook de coleção. Ser uma pessoa sem imagem definida, cada dia pendendo para um lado, pode refletir falto de auto-conhecimento ou mesmo fortes desejos de mudança e transformação. Faça o exercício de relembrar seus últimos cinco looks, principalmente os de lazer, e veja se há entre eles um fio ou um elo que harmoniza sua imagem e revela as características mais fortes de como você quer ser interpretada. É tudo questão de compatibilidade entre o que se é e o que se revela.

Pra conhecer os blogs, ou visitar novamente, basta clicar na imagem. Ok?!

23 fevereiro 2010
Camiseta não é sempre igual

T-shirt é sempre igual?! Não, claro que não. Mínimos detalhes fazem toda a diferença na hora de apostar no básico.

Decote redondo, careca, aberto, fechado, em V, profundo ou raso revelam de formas bem diferentes a silhueta; além disso há toda uma variedade de modelagem, entre as mais acinturadas, as quadradinhas, de comprimento alongado ou encurtado. Chega? Ainda não, pois nas manguinhas e nos acabamentos outras características que afetam profundamente o efeito da peça.

Um acabamento canelado, por exemplo, tende a ser mais esportivo que um acabamento liso; peças recortadas em laser, com bordinhas soltas, são mais moderninhas; já um acabamento clássico, neutro e sem interferências, pode aplicar um pouco mais de refinamento nessa peça que muitas vezes acompanha produções nada simples.

A questão da camiseta é que ela é curinga, pro bem ou pro mal. Faça chuva ou faça sol ela merece espaço e respeito. Observe, antes de tudo, o tecido da peça que deve ser compatível com seu objetivo. Não existem camisetas apenas de malha e, mesmo dentro da casa do algodão existem variações de peso e textura que refletem diretamente no acabamento da peça.

Mas questão importante, mesmo, é saber que a camiseta deve respeitar as linhas e formas de sua silhueta, no qual a relação comprimento/decote se faz essencial. O que segue e valoriza os traços naturais de seu corpo?! Pense nisso.

18 fevereiro 2010
Vendo… e aprendendo…

NY10_6

Se algumas semanas de moda são palpáveis e geram possíveis sonhos de consumo outras são bem distantes para a grande maioria de reles mortais aos quais resta apenas namorar e observar as criações. Mas não é por estarmos fora da pequena parcela que consome de fato os grandes super nomes da moda que vamos simplesmente dar as costas a tudo o que acontece. Saiba que grandes marcas ditam tendências e referências que mais tarde, ou mesmo já agora, são copiadas, remodeladas ou adaptadas chegando às nossas prateleiras e araras bem antes do que imaginamos. É um ciclo natural que faz o exercício de olhar e gostar bem mais interessante…

NY10_1

Da coleção de Diane von Furstenberg dá pra amar os comprimentos mini trabalhados como ponto focal da produção, colocando o quadril em voga através de texturas, estampas, sobreposições ou modelagens. Nas imagens percebe-se a diferença de efeito e impacto que cada uma das possibilidades gera, quase sempre jogando o preto na porção superior para equilibrar o peso visual. Os calçados de bico fino super alongam as pernas.

NY10_2

Sobreposições sem medo de agregar volume, com o corpo quase todo coberto. Drapeados, texturas, babados conversam num mesmo look, construindo novas linhas e formas na silhueta. Tons neutros misturados para deixar a composição elegante, mas ainda assim interessante. A botinha curta com meia de tom igual disfarça o efeito de corte; já a meia contrastante gera resultado contrário – que pode ser útil, dependendo da silhueta.

NY10_4

Alfaiataria em peças básicais, casuais, levando elegância para as mais variadas situações. Linhas e mais linhas na aplicação de acessórios, nas estampas e também nas construções das composições que parecem indicar exatamente para onde os olhares devem apontar.

NY10_5

Novamente alfaiataria elaborada, bem construída, refinada na medida – longe de possíveis exageros ou da fatídica ostentação. Quadril entra em voga através do corte evasê dos casacos, exigindo cuidados. No corte a exemplificação perfeita do “levemente ajustado” que delineia as curvas da silhueta sem revelar possíveis volumes que acabam camuflados pela estrutura da peça aliada ao tecido sutilmente encorpado.

E assim vai a brincadeira, retirando inspiração dos mais simples detalhes. Treinar o olhar, aguçar os sentidos, tentar levar pro dia-a-dia ou pra costureira, vai saber algo de diferente do que tanto se vê multiplicado por ai.

As imagens em questão são todas do Style.com. Todos os desfiles são da Semana de Moda de NY ou Mercedes-Benz Fashion Week, wathever.

15 fevereiro 2010
Quando o inverno chegar…..

Inverno10_4

Quando o inverno chegar as cores ficarão mais escuras, as texturas mais pesadas e as formas mais trabalhadas. Consequências naturais da estação que pede, sempre, um visual mais forte, dramático e profundo. Espere para o inverno 2010 uma clara continuação de tudo o que foi trabalhado durante o verão, com muitas referências restantes dos anos 80 caminhando para os anos 90. Sem regras, sem ordens claras ou obrigatórias a tendência, cada vez mais, é apresentada de forma variada e ampla, agradando as mais diversas consumidoras.

Inverno10_1

Se destacam nas imagens dos desfiles de inverno, incluindo Fashion Rio e São Paulo Fashion Week, a forte presença de estampas que fazem a vez de textura ou mesmo o jogo contrário que só de perto revela sua real natureza. Do lurex aos trabalhos com leve conotação artesanal as aplicações agregam peso e volume a peças que mesmo em modelagens leves ganham força e impacto. As linhas são marcantes, aparentes, sem chegar a tocar a casa da geometria. Há, por fim, brilho acetinado combinado ao fosco.

Inverno10_3

No jogo das cores o nude ou neutro ainda recebe atenção mas entram, com força, outras cores fortes e vibrantes como o vermelho, amarelo, azul e laranja – sendo que os últimos dois tons imperam junto ao preto sempre tão esperado. O que se vê, no entanto, é que o preto da vez aparece acompanhado de alguma outra cor forte, tirando a conotação séria ou mesmo minimalista que a cor pode gerar. Indo além têm-se repetidamente a combinação do azul e laranja, nos mais variados tons. Mistura agradável que brinca com o frio e o quente de um inverno que pede por looks cheios de informação.

Inverno10_2

Mas se as temperaturas caem não quer dizer que todo o corpo deve estar completamente coberto. Pernas de fora ganham ainda mais força, principalmente quando trabalhadas junto a comprimentos alongados na porção superior. Saias, vestidos ou shorts mini ou midi dividem espaço com meia calça grossa, estampada ou mesmo as meias curtas/soquete – remetendo a menininhas nada inocentes. Sapatos pesados como ankle boots trabalhados em contrastes que dividem a silhueta em blocos marcantes fecham a composição.

Cintos delimitando a cintura, colares agigantados, coletes de comprimentos variados e as peças inspiradas no guarda-roupa masculino serão compras fáceis – sendo que as peças podem ser encontradas dentro do guarda-roupa de qualquer mulher. Muita alfaiataria desconstruída e sensualidade pouco óbvia, acreditando muito mais na atitude do que no corpo oferecidamente colocado a mostra. Um inverno que explora possibilidades variadas, daqueles repletos de boas possibilidades de investimentos muito além das tendências.

As fotos são do FFW e Chic.

13 fevereiro 2010
Feriado sem viagem…

Tédio

Chega feriado e pra quem não vai viajar o que sobra é tempo. Depois de algumas horas sem o que fazer o tédio ameaça bater, mesmo com o cansaço do corpo. Impossível juntar forçar pra fazer algumas coisas, mas com um leve esforço vale dar uma boa limpa no guarda-roupa. Olha que momento bom?! Já, já troca a temporada e vale listar o que está faltando no seu acervo pessoal. Compras planejadas são o futuro! E o presente e tudo mais…

Pra quem está com o guarda-roupa em ordem outra boa ideia é fazer pesquisas de referências para lapidar o estilo e o visual. Quem sabe não é o momento de se reposicionar?! Alinhar pequenos detalhes podem lhe dar mais confiança ou credibilidade. Pesquisar cortes de cabelo, analisar combinações de cores, folhear revistas e recortar tudo o que for minimamente insinuante perante seus olhos.

Se nenhuma das duas opções anteriores lhe apetecem vale se jogar na cozinha, preparar coisas legais e deixar fluir um lado gulosa. Quebrar o regime ou variar a alimentação, pra melhor ou pior, gera uma sacudida na rotina. Criar saladas não é nada mal.

Longos dias de beleza entram na lista de coisas boas pra se fazer. Existem formas fáceis de se cuidar em casa, pegando uma corzinha ou mesmo se permitindo longos banhos (não literais) de creme… daqueles que são impossíveis durante a vida normal.

Ficar com os amigos, com os parentes (muitas vezes esquecidos) ou ler um livro. Passar o dia de pijama, virar a noite acordada, alugar vários filmes antigos; atualizar os programas do computador, limpar a estante de livros, organizar as pastas de fotos ou melhorar a seleção de músicas do ipod. Das coisas mais fúteis as super úteis são milhões de opções. Feriado sem viagem pode ser chato, mas também pode ser perfeito pra agilizar a vida. Deixe o tédio pro peixinho de aquário.