Conversinha Fashion » 2009 » junho
30 junho 2009
Boas Compras na C&A

Fazer boas compras em redes de fast fashion pode ser uma missão quase que impossível. As peças são bonitinhas demais quando olhadas de longe, no entanto a mínima aproximação coloca em voga tecidos ruins, estampas mal feitas ou descoradas e fios soltos – sem contar os probleminhas de modelagem que aparecem dentro do provador. A roupa dificilmente veste super bem. Mas, milagres acontecem e entre as araras loucas boas aquisições podem surgir.


Revirei rapidamente a C&A em busca de encontrar boas razões para passar mais tempo ali dentro. Além de achar a loja desarrumada me deparei com caixas extremamente lentos e atendentes que ao invés de ajudar atrapalham. Foi só azar meu ou as coisas realmente funcionam assim?! Faz bom tempo que não dou carinho e atenção à loja.

Bom, voltando aos milagres… eles acontecem. Comprei um cardigan idêntico aos da Zara por R$29,90, e só não comprei outros porque não tive tempo para caçar variadas opções – e a atendente não sabia o que era cardigan. Oi?! Comparando composição, textura, corte e tudo mais cheguei a conclusão de que a peça era muito parecida ou igual às que costumo comprar na outra loja de fast fashion mais refinadinha, por R$69,90. Oh momento de felicidade! Se bobear até mesmo a confecção é a mesma made in China, sendo que o produto é importado e a gente já viu nesses documentários como as coisas funcionam.
Minhas considerações são as seguintes. Não espere alta qualidade, pois você não vai encontrar. Até mesmo as peças tidas como perfeitas apresentam falhas no acabamento, que podem piorar com o tempo. Mas esse é o preço que se paga por comprar barato. Então, veja bem… esse preço é justo para o valor da peça?! Algo barato pode ser de certa forma descartável, e merece espaço no guarda-roupa. Agora… uma roupa cara com qualidade péssima deve ser esquecida. Quanto é caro?! Isso é relativo. Eu, por exemplo, não vou nem ligar se o meu cardigan baratíssimo estragar. Ah! Importante citar que o preço original era R$69,90, mas estava com desconto e grade furadíssima.

Continuando. Observe a aparência da roupa em questão. Não é porque ela custa pouco que ela deve ter uma cara pobre ou simplória… o objetivo é poupar e se vestir bem! Aha! E é possível, trabalhando com esse mix de lojas com preços bons aliadas à super marcas em liquidação – sem carregar um visual ultrapassado.

Tenha paciência. Geralmente as melhores compras não são as da vitrine… são as que estão escondidas nas araras, como foi o caso desse cardigan super baratinho. Olhar de perto e com cuidado a peça é algo que faz toda a diferença. E as peças expostas são muito datadas, marcadas… são carro chefe da coleção e, talvez por isso, você vai enjoar delas num piscar de olhos. E vendo o tecido das camisas xadrez que as super tops desfilam na propaganda, da C&A, eu tive quase que total certeza de que eles fazem mesmo as peças em material/corte de alta qualidade apenas para filmar e fotografar. Não quero afirmar nada pra não me comprometer… néam?! Mas aceito explicações!

No geral acho que com boa vontade, perspicácia e mente aberta boas pechinchas aparecem – seja na C&A, na Renner, na Zara ou TopShop (pras que viajam sempre). Mas admito que fiquei muito desanimada com a linha do Reinaldo Lourenço… se for tipo o que ví hoje… não sei não vou é passar raiva e birra o tempo todo.
29 junho 2009
Atitude numa loja blasé

Algumas lojas intimidam logo antes mesmo da porta de entrada – pele vitrine, pela arquitetura, pelas marcas comercializadas ou pela fama. Deixar de fazer boas compras por puro medo da recepção das vendedoras é algo que não deve acontecer… é preciso levantar o rosto e encarar o medo de ser julgada e analisada ao extremo por aqueles que, por razões fracas, se sentem superiores aos consumidores. Infelizmente toda essa história é mais comum do que se imagina, mas vem melhorando aos poucos (bem pouquinho). De certa forma se faz possível superar o pé atrás que lhe afasta de tais espaços e aproveitar bons momentos dentro dessas lojas blasé… com uma atitude que supera e diverte qualquer tipo de olhar torto que possa vir a surgir ao seu redor.


Não se sinta minimizada por olhares que te medem de baixo à cima; o melhor é abstrair e focar no seu objetivo maior que é o de sair dali com roupas bacanas. Sinta-se a vontade para ser atendida por outra vendedora, se a que primeiro lhe abordar for antipática com você. E não deixe uma pessoa mal humorada ou chata mesmo (que acontece) estragar o seu dia. Lembre-se sempre que o problema não é com você, mas sim com a própria vida que não deve ser lá das melhores.
27 junho 2009
Quente x Frio

Existem vários tipos de mulheres, inúmeras peles, tons e cores que se contrastam melhor ou pior com determinadas pessoas. Mas há algo que não se pode discutir – existem mulheres de pele quente e mulheres de pele fria.

Descobrir qual a intensidade de sua pele é algo super importante para a estruturação de uma imagem coesa e vibrante, afinal a cor certa é um dos fatores mais fortes no delineamento de um conjunto proveitoso.

Através de uma sucessão de perguntas e análises é possível descobrir qual a tonalidade de sua pele. É como se fosse um teste, meio genérico devo dizer, mas que no geral funciona. Antes de tudo tenha perto de você um bom espelho, num local com o máximo possível de iluminação natural – afinal, a luz artificial pode adulterar o resultado… luzes amareladas, por exemplo, nos deixam amareladas… já as brancas demais deixam nossa pele mais pra fria e brilhante. Coisas assim.
  • Qual a cor das veias de seu corpo?! Azuladas (a), Esverdeadas (b)
  • Qual a cor de sua pele?! Rosada (a), Dourada (b)
  • Entre branco e bege, qual cor mais valoriza seu rosto?! Branco (a), Bege (b)
  • Entre prata ou dourado, qual cor mais ilumina seu rosto?! Prata (a), Dourado (b)
  • Entre tons terra e tons rosados, quais lhe valorizam mais?! Rosados (a), Terra (b)

Entre os tons pastel existem os quentes e os frios.
Coloque na casa dos quentes os mais alaranjados e amarelos.
Entre os frios estão os azulados, verdes e rosas.

Bom, quem obteve mais respostas A pode dizer que sua pele é fria. Quem obteve mais respostas B, deve saber que sua pele é quente. E como isso influencia na questão dos nudes e tons pastel?! Novamente de forma genérica pode-se dizer que pessoas de pele fria ficam melhor com os nudes de tom acinzentado, nos quais o fundo tende mais aos azulados, cinzas, rosas ou afins; quem possui pele quente deve investir mais nos tons de fundo amarelado, pensando nas cores de fundo bege, creme ou marrom. Porque no geral o que se vê é que é preciso seguir a intensidade da sua pele na hora de se vestir, respeitando as limitações e indicações de sua imagem. E isso não vale apenas para os nudes… aplique essa mesma linha de pensamento ao escolher as cores no geral! Todo mundo pode usar vermelho… no entanto cada tipo de pele pede um tom característico da cor; da mesma forma que há um azul que favorece cada pele, sendo preciso descobrir qual a força ou intensidade desse azul.

Exemplos de tom nude que são mais friozinhos.
Perceba os cinzas, off-white, rosinhas…

Pelo que vimos nas passarelas da SPFW e do Fashion Rio pode-se dizer que haverão tons pastel e nudes para todos os tipos de mulheres, já que num mesmo desfile pudemos encontrar cores mais acinzentadas convivendo tranquilamente com outras mais ligadas aos beges. Mas será obrigatória focar somente e apenas em tons quentes ou frios?! Então, acredito que não. O importante em toda essa história é fazer com que a cor, ou as cores, predominantes de seu look sigam as indicações da análise de sua pele. Você pode muito bem salpicar um pouco de cada cor numa mesma composição, contando que a dominante esteja de acordo com aquela intensidade, fria ou quente, que mais está de acordo com você.

Exemplos de nude que são quentes.
Sempre ligados aos beges e marrons, com fundo amarelado.

Quem quer uma silhueta mais longa e magra pode e deve brincar tranquilamente com os jogos de ton sur ton, que forçam uma falsa linha vertical alongada e muito elegante. Pra quem quer aumentar ou acrescentar volumes em certas partes do corpo, chamando o foco dos olhares para um determinado ponto, pode brincar com os nudes fazendo deles neutros que dão espaço para que estampas ou mesmo cores super vibrantes brilhem no visual.

A ideia do post era analisar os rostos das famosas, mas achei impossível porque cada foto me dizia uma coisa… isso de luz, reflexos, fotos feitas, retoques e maquiagem interfere muito! Então, pra não falar o que não posso comprovar, achei melhor relevar.
  • %
27 junho 2009
Temporada de Liquidações

Quem está atento já percebeu. Está oficialmente aberta a temporada de liquidações. Quer fazer boas compras?! Levar pra casa aquelas peças que você amou, mas que considerou caras demais?! Corra às lojas porque os descontos suaves são os melhores para fazer realizar maravilhosas aquisições que serão usadas e aproveitadas ainda no auge desse inverno. Quer andar na moda, sem ter que pagar caro?! Vá correndo atrás dos 40%, 50% off que possibilitam ótimos negócios – enquanto os descontos mais drásticos, de 70% (por exemplo) acabam como acúmulos de peças consideradas ‘fumo’ e/ou modelos com grade de numeração extremamente furada. 


O recado foi dado. Basta ir ao shopping mais próximo para tirar máximo proveito dessa maravilhosa época do ano. Porque pra vestir bem não é preciso gastar muito… o que vale é saber quando, onde e como comprar. 
26 junho 2009
Michael Jackson

A primeira coluna do Persona Moda, pro Opperaa, que escrevi logo no início do ano passado foi sobre Michael Jackson. Na minha cabeça não havia como imaginar outra figura grandiosa na história da música e do mundo pop que pudesse ser tão significativa, tão marcante e tão confusa ao mesmo tempo. Entender o astro não é algo simples, tanto que até hoje me pego pensando em tudo que perdi sobre a história desse ídolo enquanto eu ainda era muito nova, muito criança… e a cada nova pesquisa, a cada novo olhar, uma descoberta que ora me espanta, ora cativa. Impossível não ficar vidrada nos seus passos ágeis e certeiros; improvável deixar de balançar o esqueleto apenas por um estante ao escutar algum de seus grandes sucessos. Não há como não querer prestar uma mera homenagem a MJ que mesmo entre tantas loucuras cativou tal imensa multidão.


Michael Jackson
(publicado para a coluna Persona Moda, em 11.03.08, no Opperaa)


Um mito se fez através da união de música, dança e moda. Ousado.

Amado e odiado; copiado e imitado até a exaustão. Nas transformações explicitas na face, um reflexo das mudanças impostas pelos cânones da beleza. Do penteado afro, ao liso, seus cabelos apontam um desejo de ser quem não se é – o peso de ser Michael Jackson refletido na pele.

Colorido por cores fortes e contrastantes, sua personalidade sempre abraçou o teatral. Com seu chapéu, levemente jogado sobre o rosto, Michael alimentava e fortalecia o mistério através de seu olhar profundo. Quem dançaria de terno?! Michael Jackson.

As roupas sempre foram aliadas, testemunhas da força e poder deste simbolo.

Sua vida exótica se complementava por um visual nada convencional. Impossível imaginar um reles mortal passeando pelas ruas com seus sapatos de plataforma e bico fino combinados a sua inconfundível luvinha branca.

O astro de Billie Jean, sempre elegante e sofisticado, fez misturas perigosas ao trabalhar com acessórios militares e texturas quase sadomasoquistas como couro e vinil; no break foi alem dos sons e se transformou num modo de vestir e adornar. Grande ícone.

Sua individualidade, expressada através de tramas e texturas, já chamava atenção desde os tempos do Jackson Five. Uma imagem caracterizada pela hoje cobiçada moda de vanguarda, repleta de figurinos que parecem não saber onde começam e onde terminam os palcos. Seus figurinos se entrelaçaram a sua vida e o homem Michal Jackson parece não mais existir.

Uma estrela que nunca se entregou as tendências e armadilhas da moda. Ao contrário, ele as criou. Sua sofisticação emergia em visuais teatrais e dramáticos expostos nos palcos. Até mesmo nos seus momentos mais controversos, Michael prendia a atenção dos fashionistas que aguardavam ansiosos qual visual apresentaria em encontros com a corte onde ele era julgado, não só por seus atos, mas por ser quem sempre foi.

Michael Jackson, cada vez mais inacessível, promete ainda este ano recriar sua imagem e já apresenta um visual elegantemente clássico e ousado, como sempre. Resta aguardar de qual forma seu retorno afetará as vertentes da moda que parecem, cada vez mais, respirar e absorver todas as transformações oriundas das mais diversas formas de arte.