Conversinha Fashion
14 outubro 2016
Sobre prioridades

Quem você é e quem você quer ser? Você é feliz por ser a pessoa que é? Você está onde deseja estar (ou ao menos está no caminho)? São essas algumas perguntas, entre muitas, que nos lembram de que nós devemos ser nossa principal prioridade, mesmo quando estamos dividindo ou partilhando nosso tempo e disponibilidade com outra pessoa. Entre relações de amor, ou quaisquer outras, é importante compartilhar sem se esquecer jamais dos seus princípios e das suas motivações, afastando toda e qualquer pessoa que por uma razão ou outra tenta lhe colocar para baixo ou mudar a sua essência. Se você está feliz por ser quem é, e se sente que está no caminho certo, é preciso ponderar bastante quais as motivações e qual a lógica nas críticas recebidas. Não sacrifique sua essência apenas porque alguém tem um problema com isso… simples assim.

yay

Já diz o recado… Olhe para você. Você é jovem e está assutado. Por que você está tão assustado? Não fique paralizado. Pare de engolir suas palavras, pare de se importar com o que os outros pensam. Pare de carregar o que os outros pensam. Vista o que você quer vestir, diga o que quer dizer, escute a música que você quer escutar. Escute alto e dance! Saia para dar uma volta à meia noite e esqueça que você tem aula pela manhã… pare de esperar pela sexta-feira, viva agora! Faça isso agora! Se arrisque! Conte segredos… essa vida é sua!

Viver cada dia, com intensidade ou um mínimo de vontade, é um exercício libertador. Temos sete dias na semana, mas a terrível mania de só se importar com dois – sextas e sábados – já que os domingos são depressivos demais por guardarem a dor do começo da semana. Mas qual o poder da segunda-feira? Ela é o símbolo do recomeço, da chance de tentar algo novo, de estabelecer metas. Nela, e em todos os outros dias, estão momentos ideais para ser feliz. Se arriscar nem que seja nos detalhes. Ter confiança em você, na pessoa que você é, e no mínimo curtir o fato já ótimo de estar vivo. Vivo e com saúde? Melhor ainda! Com saúde, emprego e pessoas amadas por perto? Perfeito! Não falta mais nada… isso é base para correr atrás de sonhos, ainda que super ambiciosos.

Seja você com coragem, viva cada dia. Não se trata de auto ajuda, trata de encarar seus monstros que podem estar vivos não só apenas na sua mente, mas na maldade de outras pessoas. Inveja, rancor, são sentimentos vivos e presentes entre nós – desses que secretamente alimentamos, vez ou outra, sem nem perceber. Devemos cuidar dos nossos pensamentos e fugir dessa onda pessimista, sabendo que sempre, haja o que houver, temos mente e personalidade para sermos os grandes donos de nossas opiniões. Entra aquela velha conversa de que somos nós os autores de nossa história. Nascemos para viver e é isso o que devemos, e podemos, fazer. Simples assim.

30 setembro 2016
Jeitos de usar, e bem, seus lenços e echarpes

Se a temperatura cai um pouquinho, eles estão lá para nos salvar. São lenços e echarpes que atuam como mais do que simples pedaços de tecido. Protegem, aquecem e, de quebra, deixam o visual muito mais interessante. 

lenço2

Pra arrasar não é preciso muito. Basta conhecer alguns truques e algumas maneiras variadas de amarrar e finalizar. O que, ainda, funciona também para os dias de temperatura amenas – nem quente, nem frio – mas que permitem algum tipo de complemento extra capaz de mudar todo o tom do seu visual.

lenço3

Só que, sejamos sinceros… de nada adianta uma gaveta ou prateleira lotada de acessórios do tipo se eles não partem para a vida real. Dá pra usar na bolsa, no pescoço, na cabeça e até mesmo no braço, como um bracelete. 

lenço4

Pensando sobre impacto, os lenços, cachecóis e echarpes são, ainda, capazes de ajudar no equilíbrio do peso visual da silhueta. Sério? Juro! Com os modelos leves e de caimento alongado eles ajudam a prolongar a linha de rosto e tronco, ou seja, tiram peso visual. Já os modelos mais pesados e armados geram efeito contrário, o que significa aumento da região do busto e plena atenção próximo ao rosto. É pra gravar e aplicar na vida real!

lenço1

Se faltava inspiração, agora não falta mais. Tem lindezas variadas para copiar. E, se faltava ideia para amarrar, vou te ajudar com jeitinhos simples de finalizar o uso do acessórios. Os famosos truques de styling.

Não deixe de se inscrever no canal, aqui! Assim você não perde nenhum vídeo novo!

  • %
26 setembro 2016
A moda, por Bill Cunningham #NumaFrase

Em documentário sobre a vida do fotógrafo de moda e street style Bill Cunningham (Bill Cunningham New York), o mesmo falou sobre a importância da moda e seu aspecto que vai além de cobrir a nudez. “A moda é a armadura para sobreviver a realidade da vida cotidiana. Eu não acho que você poderia acabar com isso . Seria como acabar com a civilização”, destaca.

BillFrase

Não é fácil pensar a moda isolada de seu caráter emocional, de seu significado como alimento para a autoestima e confiança. São tecidos e aviamentos que combinados representam as características de um tempo e da personalidade de quem veste.

“Fashion is the armour to survive the reality of everyday life. I don’t think you could do away with it. It would be like doing away with civilization”

Bill Cunningham faleceu em julho deste ano. Deixou, além de sua biografia, retratos emocionais da evolução da moda nas últimas décadas. Emoção por meio de imagens que abrem espaço para reflexões. Mas, não só isso. É questão de olhar. Foi Cunningham que fotografou Iris Apfel antes de qualquer outro. Ele entendeu o universo das roupas, por isso garantiu seu lugar. Cravou que “a moda é vital e interessante como nunca (…) E a moda está fazendo o seu trabalho. Ela refletindo exatamente o nosso tempo atual”.

“Fashion is as vital and as interesting today as ever. I know what people with a more formal attitude mean when they say they’re horrified by what they see on the street. But fashion is doing its job. It’s mirroring exactly our times.”

Quem quiser saber mais sobre o fotógrafo pode assistir o documentário ‘Bill Cunningham New York’.

  • %
19 setembro 2016
Motivos para usar o cinto #TruquesDeEstilo

Acessórios são responsáveis por transformar e potencializar os looks. Com eles não só damos cara nova às composições, como criamos maneiras de fazer com que as peças destaquem ainda mais as curvas da nossa silhueta.

cinto1

Com a cintura marcada conseguimos destacar a sensualidade, potencializar a feminilidade e, por vezes, equilibrar proporções da silhueta. O acessório, além disso, é bem versátil… e existe em diversas variações. O que faz com que existam muitos possíveis efeitos. Dá pra agradar qualquer um!
cinto2

O cinto muda a forma de roupas larguinhas, destaca o corte de peças ajustadas, equilibra porção inferior com superior e dá um toque extra de elegância no visual. Pode ser maravilhoso!

cinto3

Pode ser usado amarrado, em nó, aplicado da maneira básica e tradicional ou mesmo trançado. Como é feito muda o resultado final.

No caso do cinto liso, pequeno e fino, ele não chama muita atenção e não quebra tanto a linha vertical do tronco. Já o cinto com volume (por possível amarração) joga o foco na região central do corpo, assim como os modelos grossos e chamativos. Tem também o jeito de usar com a roupa fazendo volume, o que cria a sensação de efeito blusê em peças soltinhas – que ficam mais curtas com o truque. Dá pra pirar na hora de usar!

cinto4

Mas, mesmo sendo tão rico e completo, por que o cinto é pouco utilizado ou, por vezes, esquecido de lado? Deve ser poque, apesar do uso simples, ele pede um pouco mais de cuidado e requer um esforço extra. Só que a gente merece esse esforço extra para colher os bons resultados. Vale colocar um pouco mais de energia na hora de pensar no que vamos usar, pois estamos falando da nossa imagem, da nossa confiança e da nossa autoestima. 

  • %
16 setembro 2016
Sinceridade, com a ‘peça medida’ #TruquesDeEstilo

Você tem no guarda-roupa uma peça medida? É aquela que serve para apontar possíveis mudanças na silhueta. Uma calça jeans, uma camisa, uma calça de alfaiataria ajustada que mostra onde você ganhou ou perdeu peso. Sem neuras.

sinceridade

Fonte de sofrimento? Que nada… É uma ótima amiga, muito mais confiável que o espelho que pode lhe enganar pelas alterações de humor. Tudo bem que alguns tecidos são perigosos, já que cedem após algum tempo de uso (ou mesmo são maleáveis – mudando de formato na silhueta).  Então, o melhor é avaliar o corpo por meio de alguma peça já usada, antiga, que te ajuda a saber, de fato, se você ganhou peso, ou se é só uma impressão…

Todo corpo passa por mudanças, muito além do peso em si. Ganhamos e perdemos curvas, encaramos alterações nas proporções… No entanto, para quem se importa com isso, vale observar tudo o que está acontecendo para conseguir tomar uma atitude antes que a situação ‘saia do controle’. Sem cismas exageradas, apenas a chance de valorizar o olhar de quem é dono da opinião que mais importa: a sua.

Atualização de post publicado originalmente em 25 de março de 2010